Coro de Câmara de S. João da Madeira está a aceitar candidaturas para ingresso de novos elementos

Volvidos 26 anos e dois meses desde que se apresentou publicamente pela primeira vez num concerto que teve lugar no auditório da Academia de Música, o Coro de Câmara de S. João da Madeira (CCSJM) “está bem e recomenda-se”, encontrando-se, aliás, à procura de novos coralistas.

Presentemente com 15 elementos, todos com conhecimentos musicais e com idades entre os 18 e os 45 anos, o CCSJM, cujos ensaios decorrem na Casa das Associações situada na Avenida Dr. Renato Araújo, “está, neste momento, a aceitar candidaturas”, “podendo os interessados manifestar o seu interesse nas nossas redes sociais [www.facebook.com/ccsaojoaodamadeira/]”, adiantou a atual direção formada por cinco membros ao labor.

Novo espetáculo na Casa da Criatividade faz parte dos planos do CCSJM

Também ao jornal o órgão diretivo falou do “apoio incansável” que a câmara municipal e a junta de freguesia têm dado ao coro e dos projetos já para a próxima “temporada”. O CCSJM – composto por três coralistas sanjoanenses e 12 oriundos de cidades vizinhas como Santa Maria da Feira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Albergaria-a-Velha – “espera poder continuar a participar em concursos internacionais, divulgando o seu trabalho em vários pontos do país”.

“Não menos importantes – prosseguiu – serão os concertos realizados na cidade de S. João da Madeira, tendo a expectativa de apresentar um [novo] espetáculo na Casa da Criatividade”. Recorde-se que, ainda em 27 de maio de 2017, o Coro de Câmara deu um concerto comemorativo dos seus 25 anos precisamente na Casa da Criatividade, evento que o labor noticiou oportunamente.

Três registos discográficos ao longo de 26 anos de história

O Coro de Câmara de S. João da Madeira possui, ao longo dos seus 26 anos de história, três registos discográficos. O primeiro deles remonta a 1997, altura em que, com outros congéneres da região, colaborou com quatro temas na gravação de um CD duplo.

Mais tarde, em 2000, gravou o CD “Vozes”, com música de autores portugueses e brasileiros. E depois, em maio de 2008, lançou o seu último CD intitulado “Despiques”. Trata-se – conforme informou a direção ao semanário – de um projeto exclusivamente dedicado a melodias tradicionais com arranjos encomendados a compositores das “Terras de Santa Maria”.

Mas atenção que o seu “histórico” não se queda por aqui. Em 2011 gravou em direto para a Antena 2, na catedral do Mosteiro de Arouca, um programa exclusivamente dedicado à polifonia portuguesa. No mesmo ano, desta feita em junho, participou no Concurso Internacional de Coros de Freamunde, tendo obtido o 2º lugar na categoria de música sacra. E, igualmente neste concurso, na sua edição de 2014, ganhou o prémio de Melhor Interpretação de Obra de Compositor Português, com Heu Me Domine, de Vicente Lusitano.

Já no passado mês de junho, no Festival FICA, em Aveiro, venceu a categoria de Coro Misto e arrecadou o 3º lugar na final, onde competiu com os coros vencedores das restantes categorias (ver texto secundário nesta página).

Direção artística a cargo da sanjoanense Joana Leite Castro

A direção artística passou, em 2003, do então maestro fundador José Resende para as mãos do maestro António Sérgio Ferreira, que, por sua vez, em setembro de 2006, passou o testemunho à maestrina Magna Ferreira. Entretanto, em 2009, “entra em cena” o maestro Pedro Santos, estando a direção artística, atualmente, a cargo da maestrina Joana Leite Castro, natural de S. João da Madeira e com um longo percurso musical.

Hoje em dia o CCSJM apresenta-se sobretudo à capella. No entanto, em parceria com a Universidade Católica, ESMAE, Orfeão e Banda Musical de Arouca, também tem apresentado alguns programas orquestrais, nomeadamente a Nona Sinfonia de Beethoven, Missa de Marcos Portugal, Missa Brevis de Jacob de Haan, Cantatas de Bach com Ensemble do Porto, interpretação Libera Me de Constança Capdeville com o Ensemble MPMP na apresentação da revista Glossas, entre outros.

Nota também para o facto de em abril de 2016 ter apresentado, juntamente com a Orquestra Clássica do Centro, o Gloria de Vivaldi, no Concerto Aleluia, realizado no auditório de Águeda. Com a mesma colaboração, estreou a Ópera os Sinos da Macieira de Marina e Natasha Pikoul, sob a direção de David Lloyd, no Festival de Música de Coimbra.

Juntamente com a Orquestra Ulphilanis e dirigido por Rui Soares, interpretou Magnificat de Vivaldi e, além disso, ainda deu a conhecer algum do seu trabalho na Casa da Criatividade, em colaboração com diferentes organismos, como a Companhia da Música ou a Orquestra do Fundão, sendo de sublinhar o espetáculo Rituais e Paródias, em janeiro de 2017.

Coro de Câmara conquista terceiro prémio do FICA

Créditos: DR

O Coro de Câmara de S. João Madeira (CCSJM) conquistou o terceiro prémio do Festival Internacional de Coros, Aveiro (FICA), que decorreu de 29 de junho a 3 de julho, na cidade aveirense.

Este festival, segundo nota informativa remetida ao labor, envolveu, entre outras atividades corais, uma competição destinada a coros amadores, dividida por três categorias de música: sacra, popular/tradicional e mista.

O CCSJM, que apresentou obras do renascimento ao contemporâneo, de Tavener, Filipe Magalhães, Ola Gjielo, Arvo Pärt, Ângela da Ponte, concorreu na categoria sacra, na Igreja da Misericórdia, tendo esta sido “uma prestação muito aclamada pelo público que encheu a igreja”.

Posteriormente, competiu na categoria mista, no auditório do Departamento de Artes e Espetáculo da Universidade de Aveiro (UA), onde conquistou o primeiro lugar.

“Com esta honrosa vitória”, no auditório da reitoria da UA, o coro sanjoanense disputou a final entre os vencedores das categorias e mais dois coros repescados pelo júri, na qual ficou em terceiro lugar. Já o Coro da Escola Artística do Conservatório Nacional (Musaico) ficou em primeiro.

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui