Até 31 de outubro

A exposição de pintura “Sapatinho: tons de cá e de lá” do artista plástico Carlos Resende está patente, desde o dia 7 de setembro, na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

As obras desta exposição são o resultado das viagens deste professor aposentado, nos últimos anos, entre Coimbra, Aveiro, Barra, S. João da Madeira, Furadouro, Torreira, S. Jacinto e Luanda.

Um dos primeiros pormenores que saltam à vista é a escolha de um “sapatinho” para ilustrar o convite para a sua exposição. E isso acontece por uma “razão especial. Uma ligação minha, uma ligação afetiva, aqui a S. João da Madeira”, revelou Carlos Resende ao labor.

Além do desenho que ilustra o convite, o artista tem uma série de desenhos de sapatos na exposição. “O sapato feminino de salto alto é um objeto que sempre gostei e que tem qualquer coisa de artístico. Por S. João da Madeira ser a terra do trabalho e da criatividade comecei a explorar esse tema do sapato””, explicou o artista plástico. Já os “tons de cá e de lá” estão relacionados precisamente com o que vive por onde tem passado e que passa para o papel, tal como pode ser visto em cada uma das obras desta exposição.

A maior parte dos quadros são aguarelas, “uma técnica que me diz bastante, exige poucos recursos” e é “ecológica” porque “se gasta pouca tinta”, disse Carlos Resende, durante a visita guiada pela exposição a pedido do labor.

Entre os objetos tem um relacionado com Fernando Pessoa, outro com o jogo e outros apanhados nas praias e transformados em obras de arte.

Acerca destes últimos, “todos eles têm cobre que acho que é um elemento que valoriza uma coisa que não tem valor nenhum. A arte também é um bocado isso, alguma coisa para além do que é útil. Alguns teóricos dizem que a arte é tudo aquilo que tem valor para além da sua utilidade”, enquadrou Carlos Resende.

Um dos quadros a óleo de cariz abstratizante diz “bastante” ao artista plástico pelo facto de ter sido feito durante “uma altura da minha vida em que estava num processo de transformação pessoal”, contou ao labor.

Numa outra parte da exposição podemos encontrar contos escritos e ilustrados com a assinatura do seu pseudónimo Fred Kempo.

A exposição de pintura “Sapatinho: de tons de lá e de cá” de Carlos Resende tem o propósito de “pedir às pessoas que se imaginem a viajar e a registar coisas”, contou o próprio.

Uma das obras contou com o contributo de cada um dos presentes

Uma das obras estava acabada, mas o toque final foi dado por cada uma das pessoas presentes na inauguração da exposição. Cada um pegou num dos pastéis e deixou a sua marca depois de desafiados pelo próprio artista.

Como estivemos à conversa com Carlos Resende, horas antes da inauguração, fomos os primeiros a dar o contributo para o toque final desta obra. Assim sendo, apresentamos o antes e o depois da obra. Se quiser dar o seu contributo ainda está a tempo. Basta visitar a exposição até ao dia 31 de outubro na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui