Para Jorge Sequeira, este é um sinal de que S. João da Madeira “é uma cidade em movimento e transformação”

Depois de, na sexta-feira anterior, ter inaugurado o Campo de Jogos das Travessas, o presidente da câmara deslocou-se, no sábado, ao Parrinho, Fundo de Vila e Oliva Creative Factory (OCF) para mais atos inaugurais inseridos nas comemorações do 11 de outubro. Nos três locaisfez-se acompanhar por vereadores do executivo municipal, inclusive por Paulo Cavaleiro (PSD/CDS-PP), técnicos camarários e jornalistas, contando ainda com a presença de moradores, nos bairros, e de empresários, na OCF.

Contas feitas, Jorge Sequeira inaugurou numa só manhã 580 mil euros de obras – 85% dos quais comparticipados por fundos comunitários no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) -, sendo este, em seu entender, um sinal de que S. João da Madeira “é uma cidade em movimento e transformação”.

Trata-se de “um grande investimento público da autarquia e também da União Europeia”, disse o autarca ao labor, assegurando ainda que “a cidade está atenta ao dinamismo económico e empresarial, como demonstra a inauguração de cinco pavilhões na zona da Oliva, e também está atenta à coesão social, porque inaugurou um conjunto de espaços lúdicos, de recreio e de desporto que estão ao serviço da população idosa, população jovem e população escolar”.

O edil começou por descerrar uma placa na Rua José Régio (Parrinho) onde foi resolvido “um problema de saneamento com 40 anos” e criado um espaço lúdico, com um investimento de 80 mil euros. Seguiu-se a inauguração dos cinco módulos para instalação de empresas do edifício 3 da OCF, nos quais foram investidos 350 mil euros. E, por último, inaugurou mais três espaços lúdicos, desta feita na Rua Manuel Luís da Costa (Fundo de Vila), que custaram 150 mil euros.

 

Onze novas obras só neste primeiro ano de mandato

Em declarações à imprensa, já no final do périplo, Jorge Sequeira deu nota que “neste primeiro ano de mandato o executivo colocou no terreno 11 novas obras”, entre as quais as três que tinha acabado de inaugurar. Mas, para além disso, o Município também concluiu “algumas que estavam em curso, introduzindo alterações, designadamente no Campo de Jogos das Travessas, ontem inaugurado, e no Albergue para Animais Errantes”, acrescentou o líder camarário.

“Digo isto não para retirar louros ou méritos [a anteriores executivos], mas para demonstrar a capacidade de execução da nossa cidade. É um feito extraordinário os serviços da câmara conseguirem, num ano, colocar no terreno 11 obras e concluir outras”, deixou claro Jorge Sequeira.

 

Parceria entre câmara, moradores e utilizadores de espaços é fundamental

Nesta sua deslocação ao Parrinho e a Fundo de Vila, Jorge Sequeira ouviu “críticas, sugestões e reclamações [falta de pontos de água, de caixotes do lixo ou de redes de proteção que evitem que bolas atinjam automóveis ou janelas dos apartamentos, etc.], por parte de alguns moradores, tendo-as encarado “sem drama algum”.

Na sua opinião, “estes processos só são eficientes se houver uma parceria entre a câmara, os moradores e os utilizadores destes espaços”.E, por isso,“tudo aquilo que possa e deva ser retificado, se tivermos capacidade para o fazer, vamos fazê-lo”, assegurou, anunciando ainda que, juntamente com as associações desportivas e culturais, vão “tentar encontrar dinâmicas e vida para estes espaços, porque o pior que pode acontecer é que fiquem sem utilização, ao abandono”.

 

Mais cinco espaços ao serviço da indústria e da economia na Oliva

No passado dia 13, o Município inaugurou cinco módulos para instalação de empresas no edifício 3 da Oliva Creative Factory, assistindo-se àquele que Jorge Sequeira chamou de “um momento muito importante na requalificação global do complexo industrial da Oliva”.

Trata-se de uma obra no valor de 350 mil euros (85% dos quais comparticipados por fundos europeus) que, como o presidente da câmara afirmou, resultou de “uma parceria entre o setor público e privado”. Jorge Sequeira fez questão de agradecer publicamente não só a doação daquele edifício por parte da Sonae, como também da que foi feita pelo Grupo Tecmacal e que permitiu à autarquia estar, agora, “também a recuperar o topo Norte do edifício que alberga o Núcleo de Arte e o Centro de Arte”. “Será uma intervenção muito qualificadora, com uma nota de realce paisagístico, que acho que a todos vai surpreender e orgulhar”, disse o edil.

Voltando ao edifício 3, anunciou que “já temos três contratos firmados com empresas que vão dinamizar este espaço, duas delas já praticamente instaladas em termos operacionais”. E relativamente aos outros dois módulos, acrescentou que “vamos tomar medidas para também os colocar ao serviço do interesse público”.

 

Project ID receberá visitas do Turismo Industrial

A título de curiosidade, no módulo 4, encontramos a Project ID, vocacionada para o desenvolvimento de soluções inovadoras no setor do calçado. A criatividade é um momento essencial do processo desta empresa, que disponibiliza desde a criação física de protótipos até à fase produção e finalização do produto.

Este projeto vai ter um papel ativo no envolvimento da comunidade, nomeadamente através da criação de um espaço expositivo que retrate a indústria do calçado, incorporando um espólio de protótipos, máquinas, cenário de oficina a laborar e todo o ambiente do processo criativo e que vai estar aberto ao público, criando interação com visitas do Turismo Industrial.

Já no módulo 5 vai instalar-se a Sandbox Projects, um makers space impulsionador do desenvolvimento de artistas, artesãos e empresas focadas em design de produto – dentro de um espírito “Do It Yourself”.Este espaço contempla um conjunto de oficinas com equipamento para trabalhar materiais como a madeira, o metal, a resina, a cortiça, o vidro, entre outros.

Por seu turno, a Energia.pt, instalada no módulo 1, opera na área da tecnologia com uma vertente muito direcionada para as energias renováveis. Pretende desenvolver novos produtos na área da automação e criação de plataformas web para o controle de sistemas de energias renováveis, climatização e sustentabilidade ecológica.

 

Coligação congratula-se por “finalmente as obras serem inauguradas”

Em comunicado enviado ao labor, a coligação do PSD/CDS-PP congratula-se pelas diversas obras que foram inauguradas no âmbito das comemorações do 11 de outubro e pelas quais se diz responsável, enquanto foi poder, no que concerne ao seu desenvolvimento, lançamento e financiamento. Mas também não deixa de “dar uma alfinetada” à maioria: “Se tivéssemos tido o poder de decisão, em alguns casos, já teríamos colocado esses equipamentos ao serviço da comunidade há muito mais tempo”.

Ainda na nota de imprensa, a oposição “aponta o dedo” ao atual executivo por mudar o nome de Academia dos Campeões Sanjoanenses para Campo de Jogos das Travessas. Em seu entender, a câmara PS, ao rebatizar o equipamento desportivo, não quer “deixar qualquer ligação com o passado recente”, “chamando a si a responsabilidade total da obra”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui