Depois de ter terminado o contrato com o empreiteiro que abriu processo de insolvência

A obra do Parque Infantil Folhas Vivas em Fundo de Vila foi adjudicada em meados de maio de 2017 e o auto de consignação foi assinado em julho do mesmo ano, tendo previsto um prazo de execução de três meses. Passado mais de um ano depois do prazo em que esta obra deveria estar concluída, a mesma continua inacabada.

O vereador da oposição, Paulo Cavaleiro, disse estar “preocupado” por o presidente da câmara, Jorge Sequeira, não ter visitado esta obra, durante uma visita a algumas obras realizada pelos socialistas, quando “já passaram todos os prazos aceitáveis” para o seu término. “Gostava que o PS não visitasse só as obras que correm bem, mas também as que correm mal”, incitou o vereador da coligação PSD/CDS-PP, aproveitando para mencionar que muitas das obras em conclusão ou concluídas no último ano eram “obras que estavam no nosso programa eleitoral e não no deste executivo”.

No caso da obra do Parque Infantil Folhas Vivas é “preciso encontrar uma solução” e “o senhor presidente tem de dizer quando este espaço vai estar ao serviço da comunidade”, solicitou Paulo Cavaleiro.

O presidente da câmara começou por dizer que “nunca ocultaremos de quem foi a responsabilidade das obras”. Contudo, “qualquer força política pode visitar, controlar e fiscalizar a atuação municipal”, retorquiu Jorge Sequeira ao vereador da oposição, a quem relembrou ainda que este tipo de visita é “uma visita perfeitamente normal na atividade de um partido que a decidiu fazer com toda a legitimidade”.

A obra do Parque Infantil “Folhas Vivas” é “um caso que correu mal por vicissitudes do empreiteiro” relacionadas com questões financeiras e que levaram a que “tivéssemos de resolver o contrato e aplicar as penalidades”, revelou o presidente da câmara.

O que se segue é que “vamos tomar posse administrativa do equipamento, de forma a tomar posse da obra e assegurar a sua conclusão, e colocá-lo o mais rapidamente possível ao serviço da comunidade”, completou Jorge Sequeira, assumindo que “todos gostaríamos que tivesse corrido de maneira diferente”.

Esta obra “mesmo com duas prorrogações de prazo não foi concluída e sofreu mesmo, entretanto, alguma degradação, dadas as dificuldades sentidas pelo empreiteiro, que entrou em Processo Especial de Recuperação”, informou o Município depois de contactado pelo labor.

O autarca aproveitou o momento para mencionar que o executivo que lidera colocou, este ano, 11 obras novas no terreno. “Isto prova uma grande dinâmica da nossa cidade que está em movimento e em transformação”, considerou Jorge Sequeira.

O autarca destacou a obra de reabilitação do Parque de Estacionamento da Oliva, o reperfilamento da Rua João de Deus e a melhoria das passadeiras e da mobilidade na cidade.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui