O protótipo pode ser visitado até meados da primeira quinzena de dezembro

A propósito do protótipo “Home Zero” – uma casa com um balanço energético muito próximo do zero – que está em exposição desde o dia 11 de outubro junto à Sanjotec, o vereador da oposição, Paulo Cavaleiro, relembrou um outro projeto, previsto pelo anterior executivo PSD/CDS, do qual fez parte, que tinha o intuito de colocar uma estrutura modular sustentável, dos autores do “Home Zero”, que serviria de apoio às atividades levadas a cabo no Parque Radical sito na Praça Barbezieux.

A estrutura serviria, ao mesmo tempo, para demonstrar a “Home Zero”. Umprojeto que começou há cerca de dois anos com a aprovação de uma candidatura a um projeto de ID&T no âmbito do programa COMPETE 2020, apresentada pelo consórcio liderado pela Dreamdomus, em colaboração com a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, a MagnumCAP e o arquiteto Alberto Montoya.

No entender de Paulo Cavaleiro, “a atual gestão tem a responsabilidade de não ter aproveitado uma oportunidade positiva de uma empresa incubada na Sanjotec” que construiu um “equipamento que é uma ´visão de futuro´”, aludindo, assim, ao slogan de campanha de Jorge Sequeira.

O vereador da oposição insistiu com a ideia de que “a câmara tratou o assunto com ligeireza e desperdiçou uma oportunidade” e, consequentemente, tomou “uma péssima decisão” ao não dar continuidade à ideia da coligação PSD/CDS-PP.

Relativamente ao projeto “Home Zero” em exposição e demonstração junto à Sanjotec, o presidente da câmara, Jorge Sequeira, fez saber que foi contactado pela incubadora no sentido de “alargar o tempo” de exposição e demonstração desta “casa do futuro”.

Quanto ao projeto previsto pelo anterior executivo, “tomámos conhecimento deste assunto quando tomámos posse”, afirmou Jorge Sequeira, frisando ter “a certeza absoluta de que não tratámos o assunto com ligeireza”. “Achámos que aquele era o local (Sanjotec) ideal para (o ´Home Zero´) ser exposto” e “não fechámos portas para vir a ser exposto noutras partes da cidade”, esclareceu o autarca.

O protótipo “Home Zero” estará em exposição durante cerca de dois meses, até meados da primeira quinzena de dezembro, junto à Sanjotec, mas não muito mais do que este prazo previsto desde a sua inauguração a 11 de outubro, uma confirmação obtida depois de conversarmos com um dos autores do projeto.

A seguir “vamos para o Porto”, revelou Sérgio Almeida, gerente da Dreamdomus, em exclusivo ao labor.

Até lá esta “casa do futuro” poderá ser visitada por qualquer pessoa desde que manifeste o seu interesse junto da portaria da Sanjotec ou através do email geral@homezero.pt.

A “Home Zero” tem recebido “algumas visitas” e despertado “algum interesse por parte da comunidade” principalmente através de emails a pedir informações sobre este novo conceito, revelou Sérgio Almeida.

Os interessados em acompanhar as novidades deste projeto podem fazê-lo em www.homezero.pt.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui