As obras estão “a andar” tanto no troço da Estrada Nacional (EN) 223 entre Arrifana e Santa Maria da Feira como na estrada Regional (ER) 227/IC2 entre S. João da Madeira e Vale de Cambra, embora “condicionadas” pelas condições climatéricas adversas que se têm feito sentir nas últimas semanas.

O labor entrou em contacto com os engenheiros da empresa Construções Carlos Pinho, Lda. que têm a seu cargo as duas empreitadas. No caso da EN223, António Oliveira adiantou que “estamos em obra a fazer as infraestruturas (parte elétrica, telecomunicações, etc.)”. A previsão da conclusão das duas primeiras rotundas em Sanfins (junto aos semáforos) e em Escapães (antes do stand MRCar) “no início do próximo ano” mantém-se. Mas isto “se S. Pedro não nos fustigar muito”, avisou.

1/3 do troço da ER227 já foi pavimentado

Relativamente à ER227/IC2, Rúben Ferreira referiu que “já foram feitos trabalhos de pavimentação (colocação da primeira camada de betuminoso) em 1/3 da extensão total do troço [de cerca de nove quilómetros]”. No entanto, também este responsável chamou a atenção para que “a obra está a andar, mas condicionada pelo mau tempo”.

Recorde-se que é num troço de aproximadamente seis quilómetros da EN223, que atravessa o município de Santa Maria da Feira, que o Governo vai investir dois milhões e 65 mil euros (cerca de um milhão de euros em pavimentação e 600 mil euros “em obras acessórias”). A ideia é melhorar as condições de segurança e acessibilidade aos milhares de condutores que diariamente circulam nesta via, entre os quais muitos sanjoanenses.

Com um prazo de execução de 400 dias, a obra consiste na reabilitação estrutural do pavimento; reformulação das intersecções aos km 17,65, 18,100 e 18,950, através da construção de três rotundas; requalificação dos sistemas de drenagem; renovação, readaptação da sinalização horizontal, vertical e dos equipamentos de segurança; iluminação pública nas novas rotundas; barreiras acústicas; e trabalhos de integração paisagística.

Já a reabilitação da ER227/IC2 entre S. João da Madeira e Vale de Cambra, cujo tempo de duração previsto é de 360 dias, representa um investimento na ordem dos 1,6 milhões de euros, em que mais de um milhão de euros é para “pavimentação”.

São várias as intervenções programadas, com o objetivo de melhorar as condições de circulação e segurança” dos milhares de condutores que diariamente circulam nesta via, muitos dos quais sanjoanenses. A saber: reabilitação estrutural do pavimento; requalificação dos sistemas de drenagem; renovação, readaptação e complemento da sinalização vertical e dos equipamentos de segurança; marcação horizontal; e trabalhos complementares (iluminação pública e paisagismo).

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui