Virado do Avesso

0
50

Orçamento Municipal 2019

A coligação PSD/CDS, na apreciação que faz ao orçamento municipal para o ano de 2019, em cuja votação se absteve, acusa o atual executivo camarário de falta de ambição e reivindica algumas obras.

Decidi destacar duas por me parecerem paradigmáticas daquilo que podemos considerar, por um lado, a incapacidade política e falta de memória da coligação PSD/CDS-PP e, por outro, a propensão dos mesmos para o despesismo. E estas eram duas características da coligação que preocupavam claramente os Sanjoanenses aquando das eleições autárquicas. É caso para dizer que bem avisado estava o povo.

Senão vejamos:

Com a devida vénia, cito:

“A coligação PSD/CDS-PP quer ainda a adaptação do Palacete dos Condes para instalação da Universidade Sénior do Rotary Club”

A 11 de outubro de 2011, durante o executivo PSD liderado por Castro Almeida, foi inaugurado, com pompa e circunstância, se bem se lembram todos, um renovado Palacete dos Condes.

A 5 de Janeiro de 2012, o ex-presidente Castro Almeida afirma num jornal local:

“Gostaria muito de ver nascer um Lar de Terceira Idade na Quinta dos Condes, aproveitando a casa existente para áreas comuns e construindo uma nova zona de quartos”.

E isto já depois de ter afirmado que ali se instalaria a empresas Águas de S. João!

Em 2014, ficamos a saber pelo mesmo jornal que:

“O presidente da autarquia de S. João da Madeira, Ricardo Oliveira Figueiredo, realça o papel da Universidade Sénior na «promoção de uma longevidade saudável de plena participação na sociedade», considerando que «a ocupação do Palacete dos Condes por tão meritória instituição sanjoanense honra a história e importância do edifício», constituindo, ao mesmo tempo, «uma mais-valia para a cidade»”.

Concluímos, portanto, que entre 2011 e 2017, depois de tantas ideias e promessas incumpridas pelo partido no poder, o PSD foi incapaz de encontrar e implementar, para o Palacete dos Condes, uma solução.

Acresce a tudo isto que, por razões que até hoje não se conhecem, o edifício inaugurado com pompa e circunstância em 2011, entretanto deteriorou-se, perdendo-se deste modo todo o dinheiro que já havia sido investido na sua recuperação.

Agora, no confortável lugar de oposição, a coligação PSD/CDS-PP quer a adaptação do Palacete dos Condes.

Já no que diz respeito a uma certa vocação despesista detenho-me numa outra reivindicação relativa ao OM 2019, a ampliação do Parque do Rio Ul que, segundo diz a coligação, já se encontra financiada por empréstimos.

Dinheiro emprestado não é dinheiro dado. Tem de ser pago. Ora, não parece que a ampliação do Parque do Rio Ul seja uma obra de capital importância para a cidade. Acho até que o existente está ainda mal explorado, tendo um enorme potencial de utilização. Não digo que não seja uma obra a fazer-se, mas estou em crer que existem outras prioridades na nossa cidade.

Por outro lado, e para além do empréstimo que é preciso fazer para realizar uma obra que não parece ser prioritária, o aumento da área do Parque implicará, obviamente, custos adicionais de manutenção: mais jardineiros, mais limpeza, mais custos de operação e logística.

Por tudo isto parece-me francamente que a coligação tem de arrepiar caminho e mudar radicalmente de estratégia política e não lhe faltam temas para ser uma oposição mais acutilante. Assim queiram e não tenham medo de expor alguns dos seus “esqueletos”!

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui