“Senti a necessidade de dar sangue a quem precisa”, explicou Carlos Andrade, um dos dadores, ao labor

 

O Centro de Sangue e da Transplantação do Porto realizou mais uma recolha de sangue durante a manhã do dia 31 de dezembro no Quartel Operacional dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira.

Dos 41 dadores inscritos, 40 estiveram presentes e doaram sangue, representando um decréscimo de cerca de metade em relação à penúltima recolha, realizada a 25 de setembro, em que estiveram 81 inscritos e foram 71 colhidos, informou o Instituto Português do Sangue através do Centro de Sangue e da Transplantação do Porto ao labor.

Uma das dadoras com quem estivemos à conversa foi Alexandra Reis de 64 anos e secretária no quartel sede dos bombeiros sanjoanenses, para quem tudo começou quando começaram a fazer as recolhas no seu local de trabalho. E isso já foi há “muitos anos”, recordou Alexandra Reis. “Eles iam ao quartel sede fazer as colheitas” e desde então “passei a ser dadora”, mas até lá “nunca tinha pensado nisso antes”, revelou Alexandra Reis ao labor.

O caso de Carlos Andrade, de 53 anos, é diferente. Tudo começou devido a “uma doença que tive há cerca de 30 anos e levou-me a que tivesse de fazer um tratamento no Hospital de S. João no Porto”, contou Carlos Andrade. Depois do que “vi lá senti a necessidade de dar sangue a quem precisa”, explicou este dador. Além de “poder ajudar outras pessoas”, ajuda também “a controlar a saúde no dia a dia”, assumiu Carlos Andrade ao labor.

“A única divulgação das recolhas de sangue é feita através do ´boca a boca´ dos dadores”

O Centro de Sangue e da Transplantação do Porto realiza quatro recolhas de sangue anuais desde 17 de fevereiro de 1999 no quartel dos bombeiros em S. João da Madeira.

A média de dadores oscila entre os 100 e os 120, o que é “um número de bom”, uma vez que “a única divulgação das recolhas de sangue é feita através do ´boca a boca´ dos dadores”. Por isso, “o mérito é todos deles”, revelou o Centro de Sangue e da Transplantação ao labor.

Os critérios básicos para alguém ser dador de sangue é ter mais de 18 anos e mais de 50 quilos. Caso cumpra estes critérios vai ter de preencher um formulário e ser submetido a uma triagem médica. Só depois de a equipa médica ter a certeza de que reúne todas as condições é que pode começar a dar sangue. Entre os benefícios dos dadores regulares é a emissão do cartão de dador de sangue e a isenção de taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde.

Próxima recolha a 29 de janeiro

O Centro de Sangue e da Transplantação do Porto realiza a próxima recolha de sangue no dia 29 de janeiro, das 9h30 às 12h30, no quartel operacional dos bombeiros na Zona Industrial das Travessas.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui