Jorge Cortez recebeu das mãos da presidente da Assembleia Municipal (AM) uma “garrafinha” semelhante às garrafas reutilizáveis que já foram distribuídas por todos os alunos das escolas públicas e privadas do concelho.

Apesar de ter apreciado este gesto simpático de Clara Reis e de até ter ficado “um bocado agradado pelo bom design e pela sua utilização por ser uma garrafa reutilizável”, o membro da AM eleito pela CDU – Coligação Democrática Unitária não pôde deixar de reparar que a dita garrafa, “made in China”, “fez cerca de 10 mil km [até chegar a S. João da Madeira], gastando combustível e, portanto, não contribuindo nada esta viagem para o ambiente”. Em seu entender, “seria muito melhor utilizar produtos locais ou regionais”.

Chamou-lhe à atenção ainda o facto de no recipiente estar escrito “menos plástico, mais ambiente”. Ou seja, “afinal, a garrafa também é de plástico quando teríamos alternativas ao plástico”, defendeu Jorge Cortez.

“O foco é evitar o plástico de utilização única”

Trata-se, “de facto”, de “uma garrafa de plástico”, que foi feita na China, como, aliás, “imensos outros produtos que importamos”. Tal “nunca foi negado”, mas o que, segundo Jorge Sequeira, importa reter é que “o foco [do Município] é evitar o plástico de utilização única”.

Para o presidente da câmara, ao entregarem garrafas reutilizáveis “estamos a potenciar um dos três R’s da política ambiental [reutilizar]” e, “portanto, é essa a mensagem que queremos transmitir às nossas crianças”.

“O que é decisivo é a mensagem ambiental que se passa e o ganho em termos de redução de emissão de carbono que as nossas políticas globalmente têm vindo a fazer”, prosseguiu o autarca, lembrando ainda que a autarquia tornou os seus eventos em “eco-eventos”, através da introdução de bebedouros e copos reutilizáveis. Com esta medida foi possível, por exemplo, reduzir “mais de 1.000 garrafas de plástico” no Carnaval das Escolas”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...