FOTO: Diana Familiar

A autarquia de S. João da Madeira vai avançar com a manutenção e reabilitação de um conjunto de arruamentos da zona pedonal do centro da cidade, nomeadamente as ruas Dr. Maciel, José Oliveira Júnior, Colégio Castilho, 11 de Outubro, Santo António e Alão de Morais, informa nota de imprensa enviada ao labor.
Com um preço base de cerca de 250 mil euros e financiamento a 85% com fundos comunitários no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), o concurso para a seleção do empreiteiro já foi publicado em Diário da República, de forma a cumprir os prazos estabelecidos na candidatura para a concretização da obra. O objetivo é corrigir e substituir os pavimentos degradados, bem como equipamentos e mobiliário urbano, incluindo a substituição dos contentores subterrâneos, qualificando e valorizando paisagem urbana, refere também o comunicado camarário.

Prioridade aos peões

Em concreto, conforme adianta o Município sanjoanense na nota informativa, está prevista a remoção dos pavimentos em madeira e dos bancos situados adjacentemente às faixas de circulação automóvel, a reparação de piso degradado e abatido, o reposicionamento de mobiliário urbano entretanto movido dos locais originais, execução de caldeiras para árvores, a reorganização de lugares de estacionamento e a aplicação de novos dissuasores metálicos ao longo dos arruamentos, impedindo os veículos automóveis de ocupar as zonas destinadas exclusivamente aos peões.
É proposta, igualmente, a execução de rampas suaves nos passeios, cumprindo com a legislação das acessibilidades nas zonas de passadeiras, “dotando-se o pavimento de um superfície texturada direcional de encaminhamento dos invisuais para as passadeiras, junto às quais será aplicada uma superfície pitonada de alerta à aproximação da faixa de circulação rodoviária”.
Refira-se ainda que, “com o objetivo de acompanhar as naturais dinâmicas do comércio tradicional de rua”, pretende-se “a salvaguarda de espaço público livre junto aos estabelecimentos”, tendo em vista “suportar e fomentar” a vivência do espaço público “com esplanadas e outras iniciativas de cariz cultural que possam promovidos pelos comerciantes no desenvolvimento da sua própria atividade económica”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here