Créditos: Direitos Reservados

“Atitude, Disciplina, Superação” foi o lema da edição deste ano do Sarau de Ginástica da Associação Desportiva Sanjoanense, palavras escolhidas cuidadosamente e que resultam de um acróstico feito com as iniciais do nome do clube alvinegro. “Este é e será sempre o nosso lema, mas com muita amizade, amor, carinho, atenção e uma partilha constante de afetos, fazendo o atleta acreditar de que é capaz de tudo”, explica Maria João Paixão, professora de ginástica e uma das responsáveis pela organização do evento. “Não basta dizermos, eles têm que acreditar que é verdade. E para isso acontecer tem que haver atitude, disciplina e superação”, sublinha a responsável, frisando que são palavras que “vão ficar eternizadas nas paredes do pavilhão e na memória das pessoas”. “A partir deste ano vai ser um acróstico que vai estar sempre presente no nosso sarau, independentemente de escolhermos um pensamento diferente”, garante Maria João Paixão.

Ao todo foram cerca que 400 os atletas que durante três horas maravilharam um pavilhão repleto, com a maioria das atuações a pertencerem à modalidade de ginástica da Sanjoanense, “secção com quase tantos anos de história como o clube”. “Continua a ser a segunda modalidade com mais atletas”, recorda a organizadora, realçando que é também a secção com uma das faixas etárias mais alargada, contando com elementos “dos 3 aos 60 anos de idade”. E foi isso que a ginástica apresentou neste evento que assinala o fim da época desportiva da modalidade, com atuações desde infantis até às veteranas, escalão que conta com uma ginasta de 60 anos. “Esta atleta não fazia ginástica desde os seis anos de idade e para mim foi um privilégio voltar a fazê-la sentir a magia do que é o sarau de ginástica do nosso clube. Não há palavras, só quem sente”, explica Maria João Paixão. Mas à semelhança das edições anteriores, a organização voltou a apostar também em grupos convidados. Este ano estiveram presentes o Centro de Cultura e Desporto, com a modalidade de Hip Hop, o Agrupamento de Escolas de Fajões, com um trio de ginástica acrobática, o Ginásio Clube do Montijo, com uma classe de atletas entre os 55 e os 90 anos de idade e outra de Tumbling, e o Gimnocerco, que apresentou os bicampeões de ginástica acrobática em desporto escolar. O encerramento coube à secção de patinagem da Sanjoanense, que fechou “com chave de ouro” um evento que a organizadora, que há 38 anos leciona no clube, define como “o melhor de todos”. “Este foi o sarau que sempre sonhei fazer um dia. Foi aquilo a que chamo de perfeito”, diz a responsável que destaca a casa cheia e as coreografias praticamente irrepreensíveis. “Foi muito especial para mim porque este era o sarau que um dia disse à minha treinadora que gostaria de fazer quando fosse mais velha. Onde ela estiver vai esboçar um sorriso e entender o que eu queria dizer quando era uma adolescente”, revela Maria João Paixão, que confessa estar com o sentimento de “dever cumprido”. “Se a minha carreira terminasse hoje iria feliz com o que aconteceu no pavilhão. Não há palavras que expliquem a magia daquele dia”, garante a organizadora, que aponta também como fator de sucesso o apoio da colega Vera Mota, da diretora Dina Silvério, bem como de patrocinadores e encarregados de educação e de Elísio Resende, um amigo de Maria João Paixão. “Foi comigo buscar e levar um praticável ao Porto para que os atletas pudessem realizar as exibições porque a Sanjoanense não tem nenhum”, explica a treinadora, que aponta isso como a principal lacuna do clube alvinegro. “Os nossos ginastas treinam em cima de esponjas completamente degradadas. Neste momento é mais do que urgente ter um piso em condições para se treinar”, realça a responsável, que apela ao bom senso da autarquia e da Sanjoanense para a resolução deste problema. “Os nossos atletas têm tanta qualidade que isso era o mínimo que se deveria fazer”, conclui Maria João Paixão.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui