“Esperamos que tudo que lá está escrito venha a ser uma realidade e se possível que até seja melhorado”, assumiu o presidente da associação Carlos Coelho

A proposta do regulamento municipal de atribuição de benefícios sociais aos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira foi aprovada unanimemente na reunião de câmara de 28 de agosto.

A proposta resulta de “uma frutuosa cooperação entre executivo e coligação (PSD/CDS)” e “muda radicalmente o paradigma da relação entre a câmara municipal e os bombeiros”, disse o presidente Jorge Sequeira.

Os benefícios sociais incluem redução do valor da fatura da água e do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), isenção de taxas a pagar pela emissão do alvará de licença de construção ou utilização de habitação própria permanente, oferta de um vale de 50 euros para usar nas lojas de comércio tradicional durante a época natalícia, redução de 50%  no valor de utilização de equipamentos desportivos da autarquia sanjoanense, prioridade na atribuição de habitação social e no acesso ao programa de arrendamento social quando em igualdade de condições sociais e de candidatura com outros candidatos, prioridade na atribuição de Bolsas de Estudo de acesso ao ensino superior de residentes em S. João da Madeira desde que em igualdade  de elegibilidade com outros candidatos, apoio jurídico e administrativo gratuito ao bombeiros e agregado familiar em processos decorrentes de acidentes em serviço, acesso gratuito às piscinas interiores e exteriores, aos Transportes Urbanos Sanjoanenses (TUS), aos Museus da Chapelaria e do Calçado e ao Núcleo de Arte, redução em 50% no pagamento de dois bilhetes por mês em iniciativas de cariz cultural desde que um dos bilhetes seja para o bombeiro e gratuitidade do Cartão Jovem Municipal.

Os vereadores da oposição PSD/CDS apresentaram “várias propostas que não foram integradas como a atribuição de escalão A (aos filhos dos bombeiros nas refeições e material escolar)e de seguro de saúde pessoal do bombeiro”, indicou Paulo Cavaleiro, recordando que a revisão do regulamento começou no mandato anterior por iniciativa da coligação PSD/CDS.

“O voluntariado dos bombeiros é diferente de todos os outros que implica o risco de vida. É bom que a comunidade tenha a noção de que estes homens e mulheres asseguram a Proteção Civil da cidade” durante todo o ano, destacou o presidente da câmara, Jorge Sequeira, entendendo que a sua “entrega muito significativa à comunidade justifica este reconhecimento”.

A proposta de regulamento municipal de atribuição de benefícios sociais aos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira vai ser colocada à discussão pública e poderá sofrer alterações.

“Finalmente, ao fim de anos e anos de luta para que isso fosse uma realidade, chegamos agora a bom porto”, reagiu assim Carlos Coelho, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira, à aprovação da proposta de regulamento municipal de atribuição de benefícios sociais aos soldados da paz sanjoanenses, quando contactado pelo labor.

Embora esteja consciente de que o documento estará sujeito à discussão pública e que poderá sofrer alterações, “esperamos que tudo que lá está escrito venha a ser uma realidade e se possível que até seja melhorado”, assumiu Carlos Coelho.

O “primeiro passo para alcançar algo melhor” para os bombeiros terá sido dado durante um dos mandatos de Manuel Castro Almeida, mas era “muito limitado e na prática de pouco valia”. Além disso, “não houve evolução”, recordou o presidente da associação ao labor.

“Felizmente houve maior abertura por parte deste executivo e sei que todas as forças políticas estão empenhadas para garantir o futuro dos bombeiros”, concluiu Carlos Coelho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...