Plano, para este ano letivo, inclui cerca de 50 programas integrados em sete áreas de intervenção

 Na passada sexta-feira, o salão nobre da câmara encheu para a apresentação do Projeto Educativo Municipal (PEM) de S. João da Madeira. Numa iniciativa inédita, a autarquia convocou coordenadores e professores de escolas públicas e privadas para dar a conhecer as atividades propostas para o ano letivo 2018/2019.

Da vasta assistência também fizeram parte Clara Reis e Ricardo Mota, presidentes da Assembleia Municipal e da Federação Concelhia das Associações de Pais (FECAP) de S. João da Madeira, bem comotécnicos responsáveis das diversas divisões camarárias que participaram na construção deste documento, que contou aindacomum conjunto alargado de contributos de toda a comunidade educativa.

Foi a vereadora da divisão da Educação quem deu o “pontapé de saída” da sessão. Assumindo a Educação como “um investimento” e “o campo adequado para a prática daquilo que é a subsidiariedade”, Irene Guimarães adiantou que a ideia do executivo é “melhorar o nosso PEM a médio prazo”, uma vez que “o existente está um pouco desatualizado”.

“Queremos trabalhá-lo (…) definindo uma estratégia” e, nesse sentido, “é preciso definir prioridades, é preciso filtrar (…), saber o que queremos, saber com quem estamos a trabalhar”, defendeu a responsável, concluindo: tudo isto, porque “queremos que as nossas crianças e os nossos jovens sejam adultos melhores”.

Espetáculo de Natal pela primeira vez gratuito

Dividindo-se em três eixos (ver caixa), o PEM inclui cerca de 50 programas integrados em sete grandes áreas de intervenção – “Educação para a Cidadania”, “Educação para a Saúde”, “Educação para a Inovação e Empreendedorismo”, “Educação para o Património Cultural”, “Educação para as Artes”, “Educação para a Leitura” e “Educação Ambiental”. Isto, para além de duas dezenas de eventos, alguns dos quais inovadores, outros já com tradição na cidade como, por exemplo, as Marchas de S. João (em junho de 2019, em dia a articular com as escolas e a comissão de festas) e o Carnaval das Escolas (a 23 de fevereiro de 2019 ou, em caso de condições climatéricas adversas, a 2 de março).

Ainda em relação ao desfile carnavalesco, contrariamente a outras edições, não será subordinado a um único tema.  No próximo ano o mote é “Sem temas… Não temas”, dando a cada uma das instituições participantes a possibilidade de surpreender com a sua criatividade. Ou seja, “vamos manter tudo o que é tradição embora tentando fazer um bocadinho diferente para melhor”, disse a propósito Irene Guimarães.

Falando de novidades, a vereadora avançou com a notícia de que o Município vai oferecer a oportunidade a todos os alunos do pré-escolar e do 1.º ciclo de assistirem a uma peça de teatro na Casa da Criatividade, especialmente preparada para a época natalícia (dias 12 e 13 dezembro de 2018 mediante marcação na sessão específica). A responsável autárquica deu nota, igualmente, da comemoração, também pela primeira vez, do Dia Mundial do Consumidor (15 de março) e do “Crianças em Movimento – Programa de Atividade Física e Desportiva” (em que o currículo passa a contar com uma hora semanal de Educação Física).

O PEM está disponível para consulta em http://www.cm-sjm.pt/files/files/PEM_2018_2019.pdf.

Eixos e objetivos do PEM

Eixo 1: Cidade Inclusiva e Solidária

– Estimular atitudes de tolerância, cooperação e diálogo para a construção de uma atitude inclusiva, solidária e democrática;

– Promover o relacionamento intergeracional, através da partilha de saberes, valores e experiências socioculturais;

– Compreender a cidadania como participação social;

– Facilitar o acesso à escola de todos os indivíduos, através de programas de ação social escolar;

– Implementar os mecanismos de apoio socioeducativo e de apoio psicopedagógico.

Eixo 2: Cidade Competitiva e Inovadora

– Tornar os indivíduos sujeitos ativos da sua história, desenvolvendo as competências empreendedoras e o espírito científico;

– Promover o ensino de línguas estrangeiras, desde os primeiros níveis de educação/ensino;

– Manter atualizado o diagnóstico de necessidades formativas locais, auscultando as escolas, os centros de emprego e de formação profissional, bem como o tecido empresarial local;

– Aumentar as taxas de inscrição nos cursos profissionalizantes, em estreita articulação entre os agentes educativos e empresariais;

– Articular a oferta formativa com a empregabilidade.

Eixo 3: Cidade do Conhecimento e da Criatividade

– Promover o sucesso educativo, intervindo no âmbito da indisciplina, da qualidade do sucesso e das taxas de retenção e abandono escolar precoce;

– Fomentar a articulação e cooperação Escola/Escola, Escola/Família e Escola/Comunidade;

– Estimular hábitos de vida saudável;

– Facilitar a interdisciplinaridade do conhecimento;

– Encorajar a apropriação dos espaços públicos – espaços verdes, espaços culturais, espaços desportivos e espaços de recreio e lazer.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui