ADRAV, 0 – Pessegueiro, 1

ADRAV: Hugo Tavares, Rúben, Miguel, Cadete, Xavier, Moisés (Pedro Nuno, 40’), Tiago Santos, Hector (cap), Marcelo Sales (Godinho, 40’), Arouca, Estrela (Guilherme, 57’).

Suplentes: Tiago Tavares, Renato, Mohamed, Pedro Nuno, Godinho, Guilherme.

Treinador: Álvaro Oliveira.

No regresso da Liga Fundação INATEL, a ADRAV apresentou-se, frente ao Pessegueiro, com uma equipa bastante renovada. Face a isso e a jogar em casa, as expectativas eram elevadas, mas os locais acabaram por não conseguir conquistar os primeiros três pontos da nova época. E mesmo sem jogar muito bem, a equipa de Álvaro Oliveira parecia controlar a partida e por várias vezes chegou com perigo à baliza contrária, tendo mesmo marcado um golo, mas o lance acabou anulado por fora de jogo.

Após algum domínio inicial dos locais, os forasteiros começaram a ganhar terreno e a aproximar-se da baliza de Hugo Tavares e foi numa dessas jogadas de ataque que o Pessegueiro acaba por beneficiar de uma grande penalidade, por uma suposta mão na bola, que os visitantes aproveitaram para chegar ao golo.

Com a vantagem o jogo mudou. Os forasteiros começaram a defender mais recuados e a procurar a posse de bola conseguindo segurar o resultado até ao intervalo.

Na segunda parte o técnico da ADRAV apostou na entrada de Pedro Nuno e Godinho e os locais começaram a chegar com mais perigo à baliza contrária, mas voltaram a não ter a calma necessária para chegar ao golo, que poderia ter surgido à passagem do minuto 60, não fosse uma má avaliação do árbitro da partida, quando num forte remate à entrada da área um homem do Pessegueiro salta com os braços no ar impedindo a bola de chegar à baliza.

O lance desconcentrou os homens da casa que, mesmo assim, não esmoreceram e só não chegaram à igualdade por mera infelicidade. Godinho, com um forte remate, viu a bola embater no travessão da baliza contrária e Tiago Tantos, na recarga e completamente isolado, não conseguiu a emenda.

No próximo dia 20 a ADRAV desloca-se a Aveiro para defrontar a equipa de Nariz.

Rúben foi o homem do jogo

Créditos: Direitos Reservados

Numa tarde em que nada correu de feição para a turma sanjoanense, Rúben foi o jogador que demonstrou mais esclarecimento. Dos seus pés saíram várias assistências, que não resultaram em golo por inoperância dos colegas. Para além disso, como vem sendo hábito, Rúben demonstrou total disponibilidade e entregua para mudar o rumo dos acontecimentos.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui