Nariz, 1 – ADRAV, 3

ADRAV: Hugo Tavares, Ruben, Miguel, Cadete, Xavier, Caio (Tiago Santos, 40 ‘), Hector (cap), Godinho (Mohamed, 80’), Estrela (Pedro Nuno,50’), Marcelo Sales (Moisés, 70’); Arouca (Barraca, 68’).

Suplentes: Tiago Tavares, Guilherme, Tiago Santos, Mohamed, Pedro Nuno, Moisés, Barraca.

Treinador: Álvaro Oliveira.

Depois da derrota na jornada inaugural, nesta deslocação a Aveiro a ADRAV precisava de vencer para não perder terreno e com o plantel praticamente todo disponível Álvaro Oliveira efetuou algumas alterações no onze inicial com o objetivo de dar mais liberdade ao setor atacante. E logo após o início da partida o maior perigo veio dos homens de S. João da Madeira, que, por várias vezes, estiveram perto do golo, mas foi um forte remate de Godinho à entrada da área, devolvido pelo poste da baliza, que deixou os locais em sobressalto. O jogo pertencia à ADRAV, mas foi o Nariz que desperdiçou a melhor oportunidade para se colocar em vantagem quando numa grande penalidade, algo discutível, já que o guardião visitante já havia afastado a bola pela linha lateral, o pontapé sai ao lado.

A resposta do conjunto sanjoanense foi imediata com Marcelo Sales, num remate à meia volta, após uma receção à entrada da área, a inaugurar o marcador, resultado com que se chegaria ao intervalo.

Na segunda parte o jogo não começou bem para a ADRAV quando num lance de ataque dos locais o fiscal de linha deixa passar o que parecia um claro fora de jogo e na tentativa de anular o cruzamento Rúben introduz a bola na própria baliza. A reação dos visitantes não podia ter sido melhor e dominando quase todos os duelos individuais o golo parecia cada vez mais perto. Se Cadete ameaçou com um excelente cabeceamento travado por uma boa estirada do guarda-redes local, já Ricardo Arouca não perdoou e, após uma grande jogada individual de Pedro Nuno, respondeu da melhor forma a um passe do colega de equipa.

Em vantagem Álvaro Oliveira optou por gerir o esforço da sua equipa com a troca dos jogadores do setor atacante lançando também Moisés, um jogador de características defensivas no sentido de fechar todos os caminhos da sua baliza. E sem que os locais conseguissem incomodar Hugo Tavares, foi Hugo Barraca que, à passagem dos 70 minutos, aproveitou uma defesa incompleta do guardião local e fechou a contagem, garantindo os primeiros três pontos para o conjunto sanjoanense.

No próximo dia 27 a ADRAV defronta, pelas 17h00, no Centro de Formação Desportiva, a equipa do Santo André.

Hector foi o homem do jogo

Créditos: Direitos Reservados

Hector foi enorme durante a partida, estando presente e praticamente todo o terreno de jogo. Para além de ter dominado no centro, ainda encontrou forças para defender e impulsionar o setor atacante. Certinho como um relógio suíço, o capitão é capaz de levar a tripulação da ADRAV a porto-seguro.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui