Carqueijo, 1 – ADRAV, 2

ADRAV: Tiago Tavares, Rúben, Miguel, Cadete, Xavier, Hector (cap.), Tiago Santos, Godinho, Marcelo Sales (Estrela, 35’), Pedro Nuno (Mohamed, 80’), Ricardo Arouca (Hugo Barraca, 70).

Suplentes: Hugo Tavares, Jorge Talhas, Brunito., Hugo Barraca, Estrela.

Treinador: Álvaro Oliveira.

A deslocação a Águeda não foi fácil para a ADRAV, não só pelo adversário difícil, mas também pelo terreno de jogo, um campo pelado que em dias de chuva se torna num lamaçal. E logo no começo da partida os visitantes depararam-se com algumas dificuldades em manter o domínio da bola, mas a situação que foi melhorando e apesar de ambas as formações apresentarem um futebol muito musculado, lutando muitas vezes pela posse de bola no centro do terreno, era a ADRAV que mais vezes conseguia incomodar a defensiva local. A insistência dos visitantes acabaria recompensada por volta dos 30 minutos de jogo com Pedro Nuno a ganhar uma bola colocada em profundidade nas costas da defesa e a inaugurar o marcador.

Em desvantagem o Carqueijo tentou reagir, mas a ADRAV foi mantendo o perigo longe das redes de Tiago Tavares, que poucas vezes era chamado a intervir.

Na segunda parte alguma apatia dos homens de S. João da Madeira permitiu que os locais conseguissem algum ascendente, descurando a linha defensiva, mas o segundo dos visitantes não tardou a aparecer com Bruno Estrela a responder da melhor forma a um cruzamento tenso de Pedro Nuno e com um pontapé de bicicleta deixou o guardião local “pregado” ao solo.

Com dois golos de desvantagem e a eliminação mais perto, o Carqueijo procurou inverter o resultado e com um futebol mais agressivo procurava intimidar a formação da ADRAV, que, apesar de algum ambiente tenso fora das quatro linhas, manteve-se em jogo, mas não conseguiu evitar o golo dos locais aos 24 minutos, na sequência de um livre à entrada da área.

O lance causou alguma confusão dentro e fora de campo, com alguns adeptos locais a invadir o terreno de jogo, situação que culminou com o árbitro da partida a expulsar o guardião do Carqueijo e dois jogadores da ADRAV, que apesar da inferioridade numérica conseguiu segurar a vantagem e seguir em frente na Taça.

De referir que face ao sucedido minutos antes, e como forma de precaução, a direção da ADRAV optou por chamar as forças de segurança.

A próxima eliminatória realiza-se a 1 de dezembro, no Centro de Formação Desportiva, com a ADRAV a receber a Adrac, de Oliveira do Bairro.

Pedro Nuno foi o homem do jogo

Créditos: Direitos Reservados

O extremo da ADRAV foi o que melhor se adaptou às características do terreno de jogo e do adversário. Pedro Nuno esteve muito forte nos lances individuais, fazendo valer o seu porte físico. Foi sempre uma “seta” apontada à baliza adversária e, fruto disso, isolou-se e marcou o primeiro para a ADRAV. Da mesma forma ofereceu o segundo a Bruno Estrela. Para além disso, Pedro Nuno evidenciou uma forma física invejável.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui