CHEDV com 70 vagas para médicos internos

0
95
DR

No próximo ano

O Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (CHEDV) terá disponível 70 vagas para os recém-licenciados em Medicina que vão entrar em 2019 no internato do ano comum, para fazer a formação geral, de acordo com o aviso publicado em Diário da República no passado dia 7, refere nota de imprensa enviada pelo próprio CHEDV ao labor. Seguir-se-á, depois, um período de especialização que poderá durar entre quatro e seis anos.

Durante a sua formação, os médicos vão passar por vários serviços, com o objetivo de integrar os conhecimentos teóricos adquiridos, ao longo da sua formação pré-graduada, na prática clínica diária das diversas especialidades.

“O CHEDV possui uma tradição formativa há vários anos, realçada pela qualidade da sua equipa médica, com muitos doutorados em várias especialidades, o que o torna num dos hospitais mais procurados pelos jovens médicos”, diz ainda o comunicado recebido pelo nosso jornal.

 

Serviço de Imagiologia apoia Hospital da Horta

Depois de uma visita do presidente do conselho de administração do Hospital da Horta (Açores) ao Serviço de Imagiologia do Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, foi estabelecido um acordo de colaboração entre os dois hospitais.

Assim, conforme adianta nota informativa remetida ao labor, o Serviço de Radiologia do CHEDV está a dar apoio técnico e formação para a implementação do novo Sistema Digital de Arquivamento e Comunicação (PACS) e do Sistema de Informação Radiológica (RIS – Radiology Information System) no hospital açoriano.

O RIS é utilizado como interface para armazenar, recuperar e distribuir dados e informações, sejam eles administrativos ou médicos, e promove uma ligação com imagens médicas (estando o RIS integrado a um PACS). O sistema também permite rastrear todo o caminho percorrido por um utente na unidade hospitalar. De salientar que, segundo o comunicado, tudo isto resulta “numa maior produtividade, economizando tempo de processamento e transporte de resultados”.

O RIS é utilizado como interface para armazenar, recuperar e distribuir dados e informações, sejam eles administrativos ou médicos, e promove uma ligação com imagens médicas (estando o RIS integrado a um PACS). O sistema também permite rastrear todo o caminho percorrido por um utente na unidade hospitalar. De salientar que, segundo o comunicado, tudo isto resulta “numa maior produtividade, economizando tempo de processamento e transporte de resultados”.

 

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui