Juventude Pacense, 2 – Sanjoanense, 5

Jogo no Pavilhão Municipal de Paços de Ferreira.

Árbitros: Paulo Santos e Pedro Miguel Sousa (AP Porto).

Juv. Pacense: Jorge Mesquita, João Paulo Marques, Duarte Dias (cap.), Marcelo Ribeiro e José Cabral.

Suplentes: Zé Pedro Dias, João Abreu, Filipe Ribeiro, Francisco Ribeiro e Vítor Hugo Moreira.

Treinador: Marcos Costa.

Sanjoanense: Tiago Rodrigues, Pedro Cerqueira, Tiago Almeida, Alex Mount e Afonso Santos.

Suplentes: Marco Lopes (cap.), João Cruz, Xavier Cardoso, Pedro Rego e José Almeida.

Treinador: Miguel Resende.

Ao intervalo: 0-4.
Marcha do marcador: 0-1 por Alex Mount (8’), 0-2 por Alex Mount 12′), 0-3 por João Cruz (21′), 0-4 por José Almeida (22′), 1-4 por José Cabral (26′), 2-4 por Vítor Hugo Moreira (27’), 2-5 por Pedro Cerqueira (48’).

Ação disciplinar: Cartão azul para Afonso Santos (14′), José Cabral (14′), Vítor Hugo Moreira (14′) e João Paulo Marques (48′)

A Sanjoanense voltou ao normal, às boas exibições e às vitórias, vencendo, por 5-2, na deslocação a Paços de Ferreira, onde defrontou o Juventude Pacense. Foi à custa de uma primeira parte do melhor que se viu esta temporada que os alvinegros embalaram para uma vitória que acabou por ter sofrimento q.b. mas plena de justiça.

Na estreia de Xavier Cardoso, jogador que começou como suplente mas que alinhou cerca de 40 minutos, tendo rubricado uma exibição de grande nível, não fosse ele um reforço ex-Benfica, o conjunto de Miguel Resende entrou determinado a emendar a má imagem deixada na jornada anterior, frente ao Póvoa, e Alex Mount, aos oito minutos, que continua a comprovar que está a atravessar um excelente momento de forma, abriu o ativo com uma jogada individual vinda de trás da baliza para bater Jorge Mesquita. Pouco depois o inglês ampliou enquanto Xavier Cardoso serviu João Cruz para, aos 21 minutos, o defesa fazer o 0-3.

Cheia de confiança, a Sanjoanense ainda marcou mais um, antes do intervalo, com uma bomba saída do stick de José Almeida, que entrou junto ao ângulo superior direito de Jorge Mesquita. A goleada ao intervalo era inequívoca e o melhor elogio que se pode fazer à performance da Sanjoanense é que, no primeiro tempo, o guarda-redes Tiago Rodrigues só fez, literalmente, uma defesa. Muito curto para um jogo de hóquei mostrando bem o acerto defensivo dos alvinegros.

No segundo tempo, José Cabral, na décima falta cometida pela Sanjoanense, reduziu, de livre-direto, logo aos 30 segundos e, logo a seguir, Vítor Hugo Moreira fez o 2-4. O espectro da ronda anterior, em que a Sanjoanense esteve a vencer por 3-0 e deixou-se empatar, terá pairado na cabeça dos adeptos, mas a equipa manteve sempre a coesão, não permitindo grandes oportunidades ao Juventude Pacense e só não conseguiu a tranquilidade mais cedo pois falhou uma mão-cheia de oportunidades em situações de dois para um, três para um e, até, jogadores isolados perante o guarda-redes contrário. A tal tranquilidade apareceu, finalmente, aos 46 minutos, quando Pedro Cerqueira converteu uma grande penalidade.

Nota, ainda, para a permissividade da dupla de arbitragem para com o excesso de agressividade dos jogadores locais. Com este resultado, a Sanjoanense encurtou para dois pontos a distância do grupo dos segundos classificados e está a três do líder Carvalhos. Os gaienses têm, no entanto, um jogo a menos, calendário que era ontem (quarta-feira) acertado, em Famalicão, já depois do fecho desta edição. Na próxima jornada há dérbi aveirense no Caldeirão, com a Sanjoanense a receber (17h30) o HA Cambra, adversário que tem mais dois pontos que os alvinegros.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui