Há um “Estendal dos Direitos da Criança” na Renato Araújo

0
104
GN

Instalação artística pode ser visitada naquela artéria principal sanjoanense até ao próximo domingo. Mas há também outros “estendais” em outros locais da cidade

Em S. João da Madeira, a Semana da Convenção dos Direitos da Criança foi inaugurada na passada segunda-feira com uma breve cerimónia na sede da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de S. João de Madeira, na Avenida Dr. Renato Araújo, seguida de visita à instalação artística promovida junto dos centros de estudo e ATL/CATL – Atividades de Tempos Livres/Centros de Atividades Livres concelhios, também naquela artéria principal.

No âmbito das comemorações do 29.º aniversário da Convenção dos Direitos da Criança (CDC), e respondendo ao repto da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ), a CPCJ sanjoanense – tal como o labor noticiou na sua última edição – desafiou aqueles “parceiros” a abraçarem a iniciativa nacional “Estendal dos Direitos”. O objetivo foi fazer, pelas mãos dos mais novos, “verdadeiras obras de arte”, onde a política ambiental dos 3R estivesse presente. E o resultado está à vista na Renato Araújo, até ao próximo domingo, 25 de novembro.

Nesta avenida sanjoanense, do lado da praça de táxis, junto às árvores, estão estendidas várias t-shirts que foram criadas por centenas de crianças de oito instituições do concelho. A saber: Gineceu, Gente Miúda, Santa Casa da Misericórdia, CERCI, Estrela Guia, Armazém 4, Divertimento Infinito e Oficinas da Mourisca

Mas atenção que há outros “estendais” em outros locais da cidade. Depois de a CPCJ ter desafiado a comunidade em geral a aderir a esta causa, criando o seu “Estendal dos Direitos” em casa, na montra da loja, no café ou restaurante ou na empresa”, há também “estendais” a surgirem, por exemplo, na CERCI, na EB/JI do Parque. Mais: “o próprio Turismo Industrial também quis abraçar esta ideia”, conforme adiantou ao nosso jornal a presidente da CPCJ.

Segundo Micaela Marques, “todo este movimento é interessante”. Na sua ótica, “é importante envolver as próprias pessoas na construção dos direitos da criança, pô-las a ler e a falar sobre eles, a discuti-los”.

CPCJ sanjoanense também participou no II Encontro Inter CPCJ

Ao labor, Micaela Marques falou ainda da participação da CPCJ sanjoanense, no papel de dinamizadora, no II Encontro Inter CPCJ, no passado dia 20, precisamente o dia em que há 29 anos a CDC foi adotada por unanimidade pelas Nações Unidas.

Realizado em Vale de Cambra, este evento surgiu na sequência do I Encontro Inter CPCJ que houve em S. João da Madeira no ano passado. Dirigiu-se à comunidade em geral (pais e cuidadores), entidades com competência em matéria de infância e juventude e profissionais da área das crianças e jovens.

De salientar que tanto este II Encontro Inter CPCJ como o “Estendal dos Direito” e o lançamento da música “Não Me Vou Calar” dos Prana (ver texto nesta página) pretendem aumentar a consciência pública acerca da CDC, assim como a das crianças e jovens sobre os seus direitos, e ainda facilitar a integração plena das crianças e jovens no processo de desenvolvimento dos seus direitos.

“Infelizmente, mesmo na nossa comunidade, temos crianças com direitos vedados (direito à educação, a uma família harmoniosa, funcional, etc.)”, lamentou a líder da CPCJ.

 

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui