Em quatro anos festival de comédia já foi às escolas, fábricas, bombeiros, lares… E vai ainda à CERCI no próximo mês de janeiro

 Foi com um Pedro Neves “muito feliz” que o labor falou na segunda-feira, ainda no rescaldo do Gargalhão que de 28 de novembro a 1 de dezembro contagiou de bom humor S. João da Madeira (SJM).

Volvidos quatro anos desde a primeira edição do Festival de Comédia de SJM, a “cidade do trabalho” é, pela mão do humorista sanjoanense e com o apoio do Município, agora também conhecida como a “capital do humor em Portugal”.

Durante quatro dias, o Gargalhão fez rir 580 colaboradores das fábricas CEI, Helsar, Evereste, Viarco e Cartonagem Trindade e da Academia de Design e Calçado, 130 utentes de duas instituições de terceira idade e 25 “soldados da paz” da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários. A estes somam-se os 1.600 espetadores que assistiram aos dois espetáculos que tiveram lugar na Sala dos Fornos da Oliva Creative Factory (OCF) na sexta-feira e no sábado passados.

Marco Horácio, Carlos Vidal, Pedro Neves e Óscar Branco foram os comediantes da primeira noite, enquanto o segundo serão foi protagonizado por Fernando Rocha, Hugo Sousa, Alexandre Santos e Pedro Neves.

 Festival de Comédia foi pela primeira vez aos lares…

Entre as várias novidades do Gargalhão 2018, destacam-se a cerveja artesanal criada única e exclusivamente para o evento pelo comediante João Seabra e “Rir não tem idade”, que na quinta-feira e no sábado levaram Joel Ricardo Santos à ACAIS – Associação do Centro de Apoio aos Idosos Sanjoanenses e Óscar Branco ao lar da Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira, respetivamente.

Quanto a esta última iniciativa, o resultado não poderia ter sido melhor. Tal como o nosso jornalconstatou in loco, os idosos não só adoraram, como também “pediram bis” (ver Vox Pop).

 … e vai às escolas e à CERCI em janeiro

Falta ainda ir às escolas e à CERCI – Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos com Incapacidades, que, por motivos de força maior, não foi possível agora, mas que está previsto acontecer já no início de janeiro. Depois do fim das férias escolares, João Seabra e o seu companheiro de longa viagem Sidónio vão marcar presença nos estabelecimentos escolares, continuando assim com uma tradição que existe desde o primeiro Gargalhão, e pela primeira vez na CERCI.

“É importante dar escala” ao Gargalhão

“Correu mesmo muito bem”, afirmou Pedro Neves ao labor referindo-se aoseu” Festival de Comédia. “A minha intenção sempre foi a de criar um festival de humor, abrangente, para os mais diversos públicos, que a curto prazo fizesse de S. João da Madeira a ‘capital do humor em Portugal’”, o que a julgar por este último Gargalhão já foi conseguido.

“Captámos e fidelizámos público! Trouxemos os melhores comediantes nacionais, dos mais diversos géneros humorísticos”, disse ainda o humorista, para quem “está na altura de o Gargalhão dar o salto”.

Em seu entender, daqui para a frente “é importante dar escala” ao Festival de Comédia de S. João da Madeira, fazendo-o “saltar” da Sala dos Fornos da OCF para outros locais de SJM e envolvendo toda a cidade e – quem sabe – o país. Pedro Neves quer, igualmente, trazer a S. João da Madeira outros espetáculos, com outros géneros de comédia, integrados no Gargalhão.

VOX POP

Maria José Lopes, 83 anos, utente da ACAIS

“Gostei. O humorista fez-me lembrar o Porto, de onde sou natural. Nós, velhinhos, gostamos muito que nos animem e nos tirem do marasmo de só ver televisão”.

GN

Maria Helena Silva, 88 anos, utente da ACAIS

“Gostei muito. Nunca pensei rir-me tanto. Adoro estas coisas”.

GN

António Brandão, 74 anos, utente da ACAIS

“Foi fantástico. Iniciativas destas dão muito ânimo aos utentes”.

GN
Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui