Travanca, 0 – ADRAV, 0

ADRAV: Hugo Tavares, Rúben, Moisés, Cadete, Xavier, Hector, Joca, Bruno Estrela (Bruninho. 65’), Sales, Ricardo Aroucas (Caio, 15’), Xará (Miguel, 70’), Caio (Guilherme, 75’)

Suplentes: Tiago Tavares, Bruninho, Caio, Miguel, Guilherme.

Treinador: Álvaro Oliveira.

A deslocação da ADRAV a Travanca era aguardada com alguma expetativa face ao bom início de época de ambas as formações. Depois de analisar a forma de jogar do adversário, Álvaro Oliveira delineou uma estratégia que só não resultou em pleno porque os homens da ADRAV estiveram mal na hora de finalizar. E logo aos 10 minutos Marcelo Sales falha o que poderia ter sido o primeiro da partida, quando apareceu isolado frente ao guardião, mas atira por cima da trave.

Nessa altura o domínio pertencia à formação de S. João da Madeira, que via os locais criarem algum pedido maioritariamente através de pontapés de canto, que a ADRAV ia resolvendo com tranquilidade. À meia hora de jogo os visitantes voltaram a estar perto do golo, quando na cobrança de um livre Xavier responde a um passe de Rúben com um forte remate que acaba desviado por um defesa levando a bola a passar rente ao travessão.

Na segunda parte a equipa de Travanca entrou disposta a mudar o rumo do jogo e começou a pressionar os visitantes que recuaram no terreno, mas uma defesa organizada da ADRAV dava conta do recado e ia travando as investidas dos homens da casa, muito por mérito de Moisés, que aparecia em todo o lado, anulando lances de perigo para as redes de Hugo Tavares.

A meio do período complementar o conjunto sanjoanense já esta novamente no comando do jogo e em três lances de bola parada levou o perigo à baliza contrária. Primeiro foi Xará que não acertou bem na bola após um pontapé de canto, depois foi Cadete que cabeceou para a defesa da tarde. Por último Miguel levou a bola a passar a centímetros do poste.

Apesar da pontaria desafinada a ADRAV insistia, mas o Travanca também respondeu e por duas vezes causou calafrios aos visitantes. Se numa Hugo Tavares negou o golo aos homens da casa, na outra a bola passou junto à linha de golo mas não entrou.

O jogo acabaria por terminar com o nulo no marcador, um resultado que soube a pouco para a equipa de S. João da Madeira que, face as contrariedades ocorridas durante o encontro, nomeadamente com as lesões de Ricardo Aroucas e de Caio, realizou uma partida com muita personalidade e ambição e só não venceu por azar na hora de finalizar.

No próximo fim de semana a ADRAV recebe, pelas 17h00, no Centro de Formação Desportiva, a formação do Lavandeira, de S. João de Ver.

Moisés foi o homem do jogo

Moisés esteve implacável no centro da defesa. Não só anulou completamente o seu opositor direto, como cortou a maioria dos lances de perigo para a sua baliza. Para além disso, sempre que pôde, o experiente jogador da ADRAV empurrou a equipa para zonas mais adiantadas do terreno. É caso para se dizer que o verdadeiro Moisés voltou.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui