Aposta em nova personagem Oli e sistema de controlo de pessoas

O 7.º aniversário do Turismo Industrial foi assinalado ontem, dia 23 de janeiro, com a apresentação da nova personagem Oli e do sistema de RFID desenvolvido pela Heliotextil.

A Oli foi inspirada numa menina que vive e sente a indústria e que acompanha, desde ontem, as visitas realizadas por crianças do pré-escolar e do 1.º e 2.º ano do ensino básico ao Turismo Industrial com o intuito de ajudá-la a assimilar melhor os conteúdos pedagógicos através de jogos e de um discurso adequado a cada uma das faixas etárias.

Uma outra novidade é a aplicação do sistema de RFID desenvolvido pela Heliotextil, empresa incluída nos circuitos pelo património. Esta empresa sanjoanense com mais de 50 anos de história ligada à produção de fitas, elásticos e etiquetas, desde há uns anos para cá decidiu “investir em etiquetas interativas e pulseiras para festivais que integram um chip RFID, identificação por rádio, que permite a associação de informação dos utilizadores”, explicou Daniel Macaio do setor de inovação da Heliotextil, considerando, assim, esta como uma nova forma de “controlo e segurança” ao permitir saber o número de pessoas e a sua localização através de créditos associados ao chip.

A Heliotextil criou a marca “Brace-In” que é plataforma através da qual o Turismo Industrial consegue, desde ontem, controlar o número de pessoas e a localização exata dos grupos ao logo dos circuitos.

Este novo sistema vai “ajudar a melhorar a prestação de serviços do Turismo Industrial”, assumiu Alexandra Alves, responsável por este projeto do Município.

O presidente da câmara, Jorge Sequeira, destacou o “desenvolvimento tecnológico e humano” que marcou este 7.º aniversário do Turismo Industrial. O primeiro associado ao sistema de RFID desenvolvido pela Heliotextil e aplicado ao Turismo Industrial e o segundo pela criação da nova personagem Oli. A vertente tecnologia associada à humana resultam na “chave de sucesso” deste projeto municipal que tem “vindo sempre a crescer e atingiu os melhores resultados de sempre em 2018”, salientou Jorge Sequeira. Relembramos que o Turismo Industrial teve mais de 28 mil visitas divididas por mais de 700 grupos em 2018, alcançando um total superior a 150 mil visitas divididas por 3.179 grupos desde a sua abertura em 2012.

O autarca deixou “um elogio às empresas que aderiram de forma solidária e gratuita” a este projeto municipal que “sem elas não seria possível”.

Tanto Jorge Sequeira como Alexandra Alves destacaram a aposta renovada nas visitas com linguagem gestual. Uma outra novidade diz respeito aos bancos de lápis que começaram a ser colocados no largo do Souto e em frente ao edifico da Torre da Oliva no ano passado, estando prevista a colocação de mais bancos ao longo deste ano noutros locais da cidade.

Visitas guiadas gratuitas

O programa de Turismo Industrial proporciona visitas guiadas a várias fábricas dos setores do calçado, chapelaria, colchoaria, produção de etiquetas e fabrico de lápis, assim como ao Museu da Chapelaria, Museu do Calçado, ao Núcleo de Arte da Oliva, à Academia de Design e Calçado e ao Centro Tecnológico do Calçado de Portugal.

No âmbito do 7.º aniversário, as visitas guiadas são gratuitas até ao dia 26 de janeiro. Para mais informações consultar o site http://turismoindustrial.cm-sjm.pt.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui