Da Casa da Criatividade e dos Paços da Cultura

Depois de Aline Frazão, Paulo Carvalho é o artista que se segue na Casa da Criatividade. Dia 2 de fevereiro, pelas 22h00, este nome incontornável da música portuguesa partilha com o público de S. João da Madeira (SJM) os grandes êxitos da sua carreira. Mas, também este ano, pela maior sala de espetáculos de SJM vão passar The Black Mamba (15 de fevereiro), The Gift (5 de abril), Diogo Piçarra (29 de junho), Salvador Sobral (27 de setembro), Sérgio Godinho (12 de outubro), Shirley King (15 de novembro), etc..

Na passada sexta-feira,a câmara municipal (CM) apresentou a programação cultural da Casa da Criatividade e dos Paços da Cultura para 2019. Além da manutenção de alguns projetos iniciados em 2018, há novidades como é o caso da proposta “Alternativa à 5a!”, que uma vez por mês, precisamente à quinta-feira, oferecerá “espetáculos mais acolhedores e intimistas no quadro do teatro e da música”.

Também pela primeira vez os sanjoanenses e gentes de outras paragens vão poder assistir em SJM a um concerto de gospel protagonizado pelo Saint Dominic’s Gospel Choir, o maior coro de gospel em Portugal. O espetáculo está marcado para dia 13 de dezembro, às 22h00, na Casa da Criatividade.

No âmbito da iniciativa “Poesia à mesa”, a Lisbon Poetry Orchestra” atua dia 1 de março, pelas 22h00, na Casa da Criatividade. E também aqui vai ser dado o “pontapé de saída” do XIII Festival de Teatro de S. João da Madeira, dia 26 de abril, às 22h00, com a peça “Hamlet”, pela Companhia de Teatro do Chapitô.

O novo programa, que representa um investimento camarário na ordem dos 150 mil euros (montante idêntico ao do último ano), foi dado a conhecer numa conferência de imprensa (CI), na Casa da Criatividade, que terminou com chave de ouro. Aline Frazão cantou para os jornalistas, aguçando, assim, o apetite para o concerto que ia dar à noite.

A cantora, compositora, produtora e ativista angolana foi a escolhida para assinalar a abertura da nova “temporada cultural”, digamos assim. Não obstante a Casa da Criatividade já ter aberto as portas este ano ao Concerto de Ano Novo com a Orquestra do Norte dirigida pelo maestro Fernando Marinho e os Paços da Cultura terem acolhido, na primeira quinta-feira do mês, mais uma sessão do Cine S. João, conforme o labor já noticiou oportunamente.

Cerca de 70 espetáculos programados só para este ano

Depois de um 2018 “marcado pela qualidade da programação, por uma divulgação atempada e por novos produtos culturais”, conforme disse o presidente da autarquia, 2019 não lhe ficará atrás. Ao longo dos próximos 11 meses, a Casa da Criatividade e os Paços da Cultura “vão receber diversos projetos e propostas especiais que visam ir ao encontro de diferentes públicos”.

Contas feitas, são cerca de 70 espetáculos de música, teatro, cinema, incluindo programação infantil e familiar, que vão passar por estes dois espaços da cidade.

Se bem que “a programação cultural do Município é mais vasta”. De acordo com Jorge Sequeira, que deu esta CI acompanhado pela assistente de produção Gisela Borges, “[também] a seu tempo, apresentaremos a programação do Núcleo de Arte da Oliva e dos museus [da Chapelaria e do Calçado]”, sendo já certo, para além disso, que haverá, novamente, o “Hat Weekend Festival”, em julho, e o “Gin and Street Food Sessions”, em setembro.

 “Alternativa à 5ª!” arranca a 21 de fevereiro

“Alternativa à 5ª!” é uma das grandes novidades do cartaz de 2019. Depois do sucesso do Cine S. João (fruto de uma parceria entre o Município, o Cine Clube de Arouca e a APROJ – Associação de Promoção da Juventude), que vai continuar este ano nos Paços da Cultura, na primeira quinta-feira do mês, “queremos que uma outra quinta-feira também seja dedicada à cultura”, mas, desta feita, na Casa da Criatividade”.

A ideia é “proporcionar, uma vez por mês, tendencialmente à quinta-feira, um momento de descoberta, num final de noite que promete ser intimista e de partilha profícua”, “explorando-se uma nova configuração da Casa da Criatividade”.

Trata-se de “um desafio que visa estabelecer uma dialética entre a Casa da Criatividade e os seus visitantes, trazendo-os para o seu espaço de partilha de intimidade – o palco”.  Logo depois de cada evento limitado a 100 pessoas, “o público, em jeito de tertúlia informal, poderá conversar com os artistas acerca do processo criativo e colocar todas as questões/sensações/impressões ‘em cena’”.

O espetáculo “Do princípio ao fim”, do Teatro das Beiras, marca o arranque desta nova proposta cultural, dia 21 de fevereiro, às 22h00. Seguem-se “Mathilda”, o alter ego musical de Mafalda Costa, a 18 de abril, às 22h00; a canta-autora Sara Alhinho (23 de maio, 22h00); comédia “Geração Facebook” (7 de junho, 22h00); o músico brasileiro Cícero (4 de julho, 22h00); os Anaquim (19 de setembro, 22h00); e Sean Riley (31 de outubro, 22h00).

Ciclo de conferências “Pensar Futuro” regressa aos Paços

É já no dia 20 de abril, pelas 17h00, que o ciclo de conferências “Pensar Futuro” está de volta aos Paços da Cultura, subordinado ao tema “Direitos da Humanidade”. Tal como a primeira, cujo balanço foi “muito positivo”, esta segunda edição vai trazer à “cidade do labor” “um conjunto de pensadores, de diferentes áreas do conhecimento e de diferentes latitudes culturais, para refletir sobre o futuro e sobre aqueles que serão os grandes movimentos de mudança e transformação, no tempo que, afinal, é já o nosso”.

Manuel Carvalho da Silva, antigo operário eletricista e ativista sindical e secretário-geral da CGTP Intersindical Nacional entre 1986 e 2012, inaugura o painel de conferencistas convidados para este ano. Deste fazem parte, de igual modo, Maria Manuel Leitão Marques, atual ministra da Presidência e da Modernização, com sessão marcada para as 17h00 do dia 1 de junho; Viriato Soromenho-Marques, conhecido dos portugueses pelas suas obras e  envolvimento cívico, em especial nas questões ambientais nacionais e internacionais (dia 28 de setembro, às 17h00); e  Carlos Manuel Batista Fiolhais, diretor e fundador do Centro de Física Computacional da Universidade de Coimbra e criou ainda  o Centro Ciência Viva Rómulo de Carvalho que dirige (dia 16 de novembro, às 17h00).

Novembro Jazz traz Shirley King

Foi novidade em 2018 e é para continuar em 2019, com o desafio de “fazer mais e melhor”. No próximo mês de novembro, sempre às 22h00, o “Novembro Jazz” regressa à Casa da Criatividade agora sob o mote “mergulhar”, numa panóplia de propostas “no feminino que surpreendem, que instigam e que irão contagiar a cidade ao longo de todo o mês”.

O festival dedicado ao jazz tem início a 8 de novembro, pelas 22h00, com Maria João e Ogre Trio, sendo que Ogre é a mais recente aventura de Maria João, um híbrido musical que mistura o jazz com a eletrónica.

Uma semana depois, no dia 15, o palco é Shirley King, filha da lenda do blues BB King. Elsa Rodrigues e Jacinta são as cantoras de jazz que se seguem, respetivamente, a 22 e 29 de novembro.

“Somos Nós” no último domingo de cada mês

Dando cumprimento a um dos desígnios primeiros dos Paços da Cultura, a edilidade dá continuidade, ao longo de 2019, ao ciclo intitulado “Somos Nós”, que transforma o palco deste auditório no lugar de expressão artística da comunidade local.  O objetivo é realizar um conjunto de espetáculos que visam apresentar o que de melhor se faz em SJM.

Assim, já a 24 de fevereiro, às 17h00, a Banda de Música de SJM atua no âmbito do “Somos Nós”. O projeto é retomado a 31 de março com fadistas locais, a 26 de maio com o Centro de Cultura e Desporto, a 30 de junho com a Universidade Sénior, a 28 de julho com o Coro de Câmara de SJM (sob confirmação), a 29 de setembro com Tuna dos Voluntários de SJM, a 27 de outubro com a Academia de Bailado Liliana Leite e a 24 de novembro com a Academia de Música de SJM.

Programação infantil/familiar a 2,5 euros

Em 2019, a primazia da programação infantil/familiar vai para a primeira infância, baseando-se em propostas de experimentação e contacto direto das crianças com o poder da música, dos ritmos e das cores. Paralelamente haverá alguns espetáculos para toda a família. Tudo isto a 2,5 euros cada bilhete.

Integrado no projeto “Catrapum Catrapeia”, o primeiro espetáculo, para bebés desde os zero aos três anos de idade acompanhados por um ou dois familiares, chama-se “Malas e Fraldas” e está agendado para dia 13 de abril, às 11h00, na Casa da Criatividade.

A 6 de julho, igualmente às 11h00 e na Casa da Criatividade, é apresentado “Descobrir o mundo”, da Lanterna Mágica.

“Verdi que te quero verdi”, da Companhia de Teatro de Almada, e “Mi Mar”, da DançArte e Ária da Música, respetivamente, a 5 de outubro (15h00) e 3 de novembro (15h30 e 16h30), sobem também à Casa da Criatividade. E, desta feita, nos Paços da Cultura, é levada à cena a peça “Um mundo mágico”, pelo Teatro das Beiras (14 de dezembro, 15h00).

Mais informações podem ser obtidas em www.casadacriatividade.com.

“Vamos continuar com esta política social”

É intenção da CM continuar a abrir as portas da Casa da Criatividade e dos Paços da Cultura aos mais desfavorecidos, que são apoiados por algumas instituições sanjoanenses, e aos idosos. “A cultura deve servir também para promover a inclusão e combater o isolamento”, defendeu Jorge Sequeira, para quem “o investimento na cultura é tão ou mais importante do que aquele que se faz na poda das árvores, na pavimentação das ruas”, etc..

Aliás, por isso, “vamos continuar com esta política social”, que, ainda no ano passado, permitiu que “pessoas com mais de 60 anos entrassem, pela primeira vez, na Casa da Criatividade”. “Despesa com a cultura é despesa social. É importante e é para continuar”, sublinhou o responsável político.

Números de 2018 da Casa da Criatividade e dos Paços da Cultura

30.556 espectadores (programação + cedências), sendo que 16.788 assistiram a programação própria do Município

Aumento de 5.434 espectadores em comparação com 2017

57espetáculos, mais 18 do que em 2017

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here