Os Arrifanenses, 1 (4) – ADRAV, 1 (3)

ADRAV: Tiago Tavares, Brunito, Moisés, Miguel, Brito (Mohamed. 60’), Tiago Santos, Hector, Joca, Caio (Xará, 80’), Godinho, Barraca.

Suplentes: Hugo Tavares, C. Rocha, Sabata, Jorge Talhas, Mohamed, Xará.

Treinador: Filipe Talhas.

Ditou o sorteio que esta terceira eliminatória colocasse frente a frente duas boas equipas da Liga Fundação INATEL. Os Arrifanenses, que atravessam um bom momento de forma, mantendo ainda a esperança de chegar ao primeiro lugar da série B, entraram neste encontro com a moral elevada, beneficiando ainda do facto de jogarem em casa. Já a ADRAV deparou-se com alguma dificuldade para formar o melhor 11, já que a equipa depara-se com vários atletas lesionados.

Apesar das contrariedades, os homens de S. João da Madeira levavam a lição bem estudada, com uma estratégia que passava, essencialmente, por jogar com um bloco baixo tentando, assim, reduzir os espaços ao adversário e sair em contra-ataque rápido. Mas nem tudo correu como esperado e logo nos primeiros minutos a ADRAV foi surpreendida com o golo de Os Arrifanenses que, motivados pela vantagem, praticamente instalaram-se no meio campo dos visitantes, que se deparavam com grandes dificuldades para chegar à baliza adversária. Do lado contrário a situação era diferente e apesar do domínio os locais esbarravam na bem posicionada defesa da ADRAV ou em Tiago Tavares, que evitou o segundo de Os Arrifanenses ao desviar por cima do travessão um cabeceamento.

Aos poucos os homens de Filipe Talhas começaram a ganhar algum controlo do jogo e a chegar com mais perigo à baliza contrária e foi na sequência de um pontapé de canto, batido por Brito, que Tiago Santos apareceu junto ao primeiro poste e com um desvio de cabeça restabeleceu a igualdade.

O técnico da ADRAV apostou então na troca de Brito por Mohamed e os visitantes ficaram mais sólidos na hora de fechar o caminho para a baliza.

E apesar da pressão exercida pelos locais, a melhor ocasião para colocar o marcador novamente em funcionamento coube à ADRAV, quando Caio cruzou por cima da defesa e Godinho, frente a frente com o guarda-redes, viu a bola fugir dos pés.

Instantes depois chegava-se ao fim da partida que acabou decidida na marcação das grandes penalidades. Aqui a sorte sorriu aos locais.

De sublinhar que a ADRAV ainda tem a possibilidade de ser repescada para estar nas meias-finais, mas terá que aguardar pelo resultado do sorteio entre as três equipas derrotadas nesta eliminatória.

No próximo sábado regressa a Liga Fundação INATEL com a ADRAV a receber, no Centro de Formação Desportiva, a equipa do Nariz.

Hector foi o homem do jogo

Créditos: Direitos Reservados

O capitão da ADRAV realizou uma grande exibição no centro do terreno. Hector esteve incansável e sempre em ação, chegando mesmo a ocupar espaços que deveriam estar sob a responsabilidade dos colegas. Num momento em que a ADRAV dava mostras de não aguentar a pressão do adversário, o capitão segurou as pontas até que a equipa voltasse a entrar no jogo. Mais uma vez Hector mostrou toda a sua raça e vontade de vencer deixando tudo em campo.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui