Criando uma alternativa para os encarregados de educação que trabalham ao longo desse mês e não têm quem possa tomar conta dos seus filhos

De todas as áreas, a Educação foi a bandeira do programa eleitoral socialista que acabaria por eleger Jorge Sequeira. Além das medidas adotadas pelo seu executivo, existe uma outra ideia que está “a ser estruturada” e “poderá ser posta em prática ainda este ano”, revelou o presidente da câmara durante a sua intervenção no Encontro Nacional da Rede Portuguesa das Cidades Educadoras. A ideia é “abrir um jardim de infância durante o mês de agosto” para que todos os encarregados de educação que trabalham ao longo desse mês e não têm quem possa tomar conta dos seus filhos, encontrem naquele espaço uma alternativa disponibilizada pelo Município, deu a conhecer Jorge Sequeira.

Foi com “orgulho” e “agrado” que o Município de S. João da Madeira acolheu no dia 8 de fevereiro, pela primeira vez, o Encontro Nacional da Rede Portuguesa das Cidades Educadoras na Torre da Oliva que é um edifício com uma “simbologia que em termos de representatividade histórica está a par da importância que queremos dar a este evento”, disse Irene Guimarães, vereadora da Educação, durante a receção aos 140 vereadores, dirigentes e técnicos municipais, oriundos de mais de 56 cidades portuguesas.

A Associação Internacional das Cidades Educadoras, à qual pertence o Município sanjoanense desde 2007, conta com 488 cidades associadas, em 37 países. Na base da sua criação, está o propósito de estreitar relações entre os governos locais para a promoção do valor educativo no espaço urbano, fomentando políticas e intervenções públicas transformadoras das cidades em espaços propícios para o desenvolvimento humano, em conformidade com os “Princípios da Carta das Cidades Educadoras”.

A Rede Portuguesa daquela associação conta com 74 municípios aderentes, tendo a sua maioria marcado presença no encontro realizado em S. João da Madeira.

O programa contemplou a apresentação do Projeto Educativo Municipal sanjoanense que foi repartida pelo Núcleo de Arte da Oliva e pelos museus da Chapelaria e do Calçado.

“A história é uma parte fundamental da educação”

Os operários e os empresários das empresas Industrial de Chapelaria e Oliva tiveram um papel essencial na construção da história de S. João da Madeira que estará para todo o sempre cravado e devidamente relatado nas paredes dos museus da Chapelaria e do Calçado e no Turismo Industrial sedeado na Torre da Oliva. Cada um destes espaços e destes projetos “homenageiam as nossas grandes tradições industriais” e demonstram que “damos muita importância ao trabalho dos operários e dos empresários”, considerou Jorge Sequeira, esclarecendo que S. João da Madeira, embora seja o território mais pequeno do país, é muito grande em valor.

“A história é uma parte fundamental da educação”, salientou o presidente da câmara Jorge Sequeira que momentos antes deu a conhecer que a indústria e o empreendedorismo dos sanjoanenses permitiram conquistar a sua autonomia concelhia primeiro como vila e, depois, com a sua elevação cidade.

O autarca destacou ainda a relação de “excelência” entre o Município e os agrupamentos de escolas de S. João da Madeira que são parceiros na implementação de medidas adotadas pelo atual executivo como o TUS gratuito, o programa de Erasmus Municipal F.O.R.A, a Assembleia Municipal Jovem, o reforço de Educação Física no 1.º ciclo, a retirada de amianto dos edifícios escolares e o reforço do programa Escola Segura da PSP, entre outras.

14 municípios candidatos à Comissão de Coordenação da Rede

O Encontro Nacional da Rede Portuguesa das Cidades Educadoras também ficou marcado pela eleição da Comissão de Coordenação para o biénio 2019/2020.

Os municípios candidatos foram 14 – Almada, Amadora, Guarda, Loulé, Odemira, Odivelas, Paredes, Pombal, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Soure, Torres Vedras, Valongo e Vila Nova de Famalicão – a cinco lugares elegíveis.

A comissão é composta por sete membros, os cinco eleitos –  Almada, Loulé, Odemira, Torres Vedras e Vila Nova de Famalicão – e dois por inerência, Lisboa e Lagoa do Algarve.
No primeiro caso por representar internacionalmente, a Rede Portuguesa, mais precisamente, no Comité Executivo da Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE) a que todos os 74 municípios desta rede pertencem e no segundo por ser o Município que acolherá o 8º Congresso Nacional das Cidades Educadoras de 15 a 18 de maio deste ano.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui