A presença no Torneio de Abertura Base, realizado no Complexo de Ginástica da Maia, poderá ter sido uma dos momentos mais altos em termos desportivos do jovem Clube A4. Fundado em maio de 2017, a coletividade marcou presença na competição com 27 ginastas, a maior comitiva do distrito de Aveiro, e o resultado não poderia ter sido melhor, regressando a casa com vários títulos e medalhas na bagagem.

No sábado, com a competição dedicada ao feminino, destaque para a excelente prestação da juvenil Filipa Oliveira com três subidas ao pódio, conquistando a prata no salto e o bronze no solo e na trave.

As medalhas não se ficaram por aqui e em juniores Beatriz Oliveira arrecadou o segundo lugar na trave, enquanto Sofia Coelho foi terceira no solo, em juvenis.

A excelente exibição da equipa feminina do Clube A4 refletiu-se também nos resultados coletivos com a coletividade sanjoanense a sagrar-se campeã distrital em juniores e a conquistar a prata em juvenis e iniciados.

Créditos: Direitos Reservados

No domingo foi o setor masculino que esteve em prova e o Clube A4 voltou a destacar-se nos lugares de pódio. Joel Reis esteve em evidência com a conquista de cinco primeiros lugares. O atleta, e também treinador da equipa sanjoanense, venceu em all around, no salto, na barra fixa, no cavalo e no solo.

Já André Macedo, que é utente da Cerci de S. João da Madeira, competiu de igual para igual com os restantes adversários, mas garantiu três subidas ao pódio, alcançando a prata no salto, no solo e no cavalo.

Para Rita Veloso, responsável pelo Clube A4, a participação da equipa sanjoanense nesta competição “foi auspiciosa” e trouxe “algumas surpresas”. Extremamente satisfeita com a prestação da equipa e com os resultados alcançados, a dirigente sublinha que a aposta numa comitiva de 27 elementos com o intuito de “dar oportunidade a todos de atingirem os seus objetivos pessoais e melhorarem a competência em clima de prova”. “Notou-se uma grande entreajuda entre os ginastas que já tinham participado em provas no ano passado e os novos. Essa cooperação é muito salutar”, explica Rita Veloso, que garante que isso é mais importante que os resultados desportivos. “Já tive oportunidade de no treino dizer-lhes isso mesmo, que adoramos as medalhas e as taças, mas valorizamos muito mais o ‘vais conseguir’ e o ‘faz assim e vais ver que vai correr bem’, sobretudo das mais experientes com as estreantes”, conclui a dirigente, garantindo, no entanto, que o Clube A4 “tem ainda muito caminho para percorrer”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui