Mas mais “amiga” dos peões

Com menos lugares de estacionamento do que tem atualmente, mas muito mais “amiga” dos peões. Assim se apresentará a Rua João de Deus após o seu reperfilamento levado a cabo no âmbito de uma das ações do PAMUS – Plano de Ação da Mobilidade Urbana Sustentável do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano designada por “Cidade Inclusiva”. O próximo mês é a data prevista para o início da obra, que foi adiantada pela câmaraao labor.

Entretanto – como aliás o nosso jornal noticiou na semana passada – já foi assinadoo contrato entre o Município de S. João da Madeira e a Civopal, empresa de construções e obras públicas que terá sob sua alçada a concretização da “Cidade Inclusiva”. Recorde-se que este projeto, para além da retificação do perfil da Rua João de Deus, inclui a intervenção em mais de 50 atravessamentos para peões, representando um investimento de mais de cerca de 350 mil euros na melhoria da mobilidade do concelho.

Interpelada acerca do custo do reperfilamento da Rua João de Deus, a autarquia, através do seu gabinete de comunicação, não nos conseguiu dar um valor. Apenas disse que “o reperfilamento está incluído no ‘bolo’ dos mais de cerca de 350 mil euros” e chamou a atenção para que o referido “bolo” não abarca o “custo da expropriação” do prédio localizado no gaveto da Rua João de Deus com a Rua Visconde. Além disso, informou que a obra em causa se traduz “na eliminação do estrangulamento da faixa de rodagem ascendente, com alargamento dos passeios e estadias, e reorganização do estacionamento”.

Fim do estrangulamento de trânsito cada vez mais próximo

Este, se não é o maior, é um dos maiores “problemas de trânsito” em S. João da Madeira (SJM). Por isso, a edilidade, após a “aquisição amigável” do imóvel não ter sido “viável”, avançou para a expropriação, tema que o labor focou na sua edição de 19 de abril de 2018, depois de ter sido falado numa reunião de câmara.

Passado quase um ano, o fim do estrangulamento de trânsito naquela que é uma das artérias mais movimentadas da cidade parece estar, pois, cada vez mais próximo. E voltou a ser assunto em sede de executivo municipal.

 

DF

“Redução de estacionamento” preocupa oposição

A “redução de estacionamento nesta rua [consequência do reperfilamento] está a preocupar-me”, afirmou Paulo Cavaleiro na última reunião de câmara datada de 6 de março. Para o vereador da coligação PSD/CDS-PP, “uma coisa é a cidade até às 19h00 e outra é a cidade depois das 19h00”, podendo-se, na sua ótica, “estar a criar um problema com esta intervenção”.

O elemento da oposição lembrou que “a cidade tem muitos lugares de estacionamento que foram pensados por causa dos apartamentos”. “Tudo bem que as pessoas podem estacionar nos parques. Isto é válido para quem nos visita. Mas e os moradores?”, questionou.

“Já estava projetada uma redução do estacionamento”, recorda Jorge Sequeira

Jorge Sequeira não tardou a dar a resposta ao “adversário político”, começando por recordar que, mesmo antes de entrar em funções, “já estava projetada uma redução do estacionamento”.

“Trata-se de dar passeio aos peões, de favorecer as condições de mobilidade, de alinhar o perfil da rua com o lado do Tribunal”, defendeu o líder camarário. Além disso, chamou a atenção para que “até às 19h00 há uma oferta [de estacionamento]” que é assegurada não só pelo parque de estacionamento subterrâneo da Rua João da Deus, com 167 lugares disponíveis, mas também pelo do Mercado Municipal, com 300 lugares.

Acontece que, apesar de a primeira meia hora ser gratuita, os dois parques inaugurados em 2005, para já na altura sanar “a carência de lugares de estacionamento no centro da cidade”,continuam a ter uma taxa de utilização aquém do que seria desejável, conforme mostram dados facultados pelo Município à margem da reunião de câmara (ver caixas).

“Relativamente ao estacionamento noturno, quem tiver garagem utiliza-a, quem não tiver terá de utilizar os lugares de estacionamento disponíveis”, referiu Jorge Sequeira, fazendo notar que “não conseguimos garantir lugares para todos” e que em SJM “há artérias onde nem sequer existem lugares”.

“Pode não garantir lugares para todos, mas [também] pode não reduzir”, ripostou Paulo Cavaleiro, dando como “bom exemplo” o que aconteceu na Rua de Santo António onde “aumentaram três lugares”.

Parques de Estacionamento Subterrâneos

Taxas de ocupação

 

Parque Mercado Parque João de Deus
ano taxa ano taxa
2018 10,50% 2018 6,30%
2017 9,00% 2017 5,50%
2016 7,60% 2016 4,80%
2015 3,80% 2015 3,80%
2014 4,20% 2014 3,40%

 

 

Tarifário

 

» primeira meia hora, gratuita;

» segunda meia hora, €0,20, correspondendo a duas frações de 15 minutos a €0,10;

» terceira hora e seguintes, €0,50 repartidos pelas seguintes frações:

– primeiros 15 minutos a €0,10;

– segundos 15 minutos a €0,10;

– terceiros 15 minutos a €0,15;

– quartos 15 minutos a €0,15.

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui