Que turismo (industrial) é este?

Virado do Avesso

0
101

Esta semana, uns amigos que vivem fora de S. João da Madeira perguntaram-me o que é o turismo industrial.

Confesso que não sendo conhecedor do serviço em questão não podia deixar de dizer alguma coisa e assim lá fui dizendo que é um serviço do Município que organiza visitas a fábricas. Encerrei a conversa por não me sentir muito à vontade com o tema.

No entanto, fiquei com a inquietação de quem não sabe verdadeiramente o que se passa na sua cidade e decidi informar-me para não voltar a ser apanhado em falso. Li o que encontrei nos jornais, pesquisei no Google, visitei sites oficiais e páginas de facebook, etc.  Quando cheguei ao fim conclui que não tinha ficado esclarecido. Muitas das minhas questões ficaram sem resposta. Mais inquieto fiquei quando leio uma crónica de opinião neste jornal, há umas semanas, onde o seu autor mistura, de uma assentada só, turismo com cultura. Pareceu-me desadequado e, por isso, decidi partilhar algumas das minhas questões:

1º O turismo é, essencialmente, uma atividade económica, logo o ponto de partida para uma análise esclarecida e esclarecedora deve ser: qual o impacto económico que o turismo industrial tem na cidade? Qual o número de turistas que gera (não confundir turistas com visitantes)? Quantas dormidas gera? Quantas refeições gera? Qual o volume de compras feito pelos “turistas” no comércio local?

2º Quanto custa ao erário público este serviço? No balanço entre o “deve e haver”, qual o saldo?

3º Com o custo deste serviço, não seria de alargar o âmbito do mesmo para a promoção de todas as atividades de lazer e cultura que se realizam na cidade?

4º Justifica-se que uma cidade com a pequena dimensão de S. João da Madeira, tenha um serviço de turismo dedicado exclusivamente à indústria?

A esta pergunta posso eu responder. Na minha opinião, NÃO. Reconheço o mérito do conceito, mas não faz sentido que não seja mais abrangente e não promova de facto o que de melhor a cidade tem. E aqui vai um exemplo.

  1. João da Madeira tem um festival literário que dá muito prestígio à cidade e que tem o mérito de ser dos poucos (se não mesmo o único) em todo o País que é construído com a própria comunidade: a Poesia à Mesa. Pois bem. Este importante festival é completamente ignorado pelo serviço de turismo do município.

Como é possível que o serviço de turismo que deveria estar a ‘vender a cidade’ a turistas de todo o país, tenha publicado, apenas e tão-somente (à data de hoje), um único post sobre a Poesia à Mesa e precisamente sobre uma iniciativa que tanto quanto percebi nem sequer está aberta ao público em geral (e que, por acaso, até é parte interessada: poesia nas fábricas)?

Como é possível que o turismo que deveria tentar trazer turistas para a cidade não faça uma grande e empenhada divulgação de um festival literário único, como se vê fazer em todos os municípios que têm festivais literários?

A ideia com que se fica perante este tipo de atuação é que este serviço funciona autonomamente, alheio ao que deveria ser o seu papel de promotor/vendedor da grande dinâmica cultural da cidade. E, já agora, impõe-se perguntar: por que não aproveitaram a presença do serviço de turismo da cidade na Bolsa de Turismo de Lisboa para promover o Hat Weekend 2019 e a Poesia à Mesa de 2020?

Deixo aqui as minhas inquietações para que alguém que saiba e possa responder… ou não! Mas não posso deixar de expressar o meu reconhecimento pelo excelente trabalho que o atual executivo municipal tem desenvolvido em prol da cultura e da sua promoção.

Nota de rodapé: A diferença entre um visitante e um turista é muito simples. Enquanto o VISITANTE é aquele que se desloca temporariamente para fora da sua área de residência, passando por algum lugar sem a intenção de lá permanecer, o TURISTA é aquele que se desloca do seu lugar de residência para um determinado lugar para realizar uma viagem superior a 24h00, usufruindo da infraestrutura do local visitado, sem fixar residência ou renda, motivado por situações diversas (lazer, descanso, eventos, atividades culturais, desportivas, entre outras).

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui