O arranque oficial do Andebolmania 2019 foi dado no passado dia 2 de abril, no Centro Comercial 8.ª Avenida com a apresentação oficial do evento que, este ano, irá estar representado por sete países. Para além das habituais equipas portuguesas e espanholas, a competição conta ainda com formações de França, que está de regresso à prova, Itália, Suíça, Irlanda e Eslovénia, que marcam presença pela primeira vez neste evento que tem já confirmadas 120 equipas e cerca de 1.800 atletas. Números que demonstram a dimensão deste torneio promovido pela secção de andebol da Associação Desportiva Sanjoanense, que decorrerá de 17 a 20 de abril, e que para Manuel Andrade, representante da Associação de Andebol de Aveiro e que já esteve ligado à organização do evento, fazem do Andebolmania “uma marca de referência nacional e internacional”. Para o dirigente, a recetividade que a competição tem tido ao longo das várias edições é reflexo de que o andebol em Portugal “é de qualidade”. “Só nos falta dar o clique para, em termos de seleções, atingirmos o nível a que nos propusemos, que é lutar pela vitória em campeonatos europeus e mundiais”, refere.

Num evento que tem vindo a crescer ao longo dos anos e que se afirmou com um projeto de referência nacional, Luís Vargas, presidente da Associação Desportiva Sanjoanense, relembra que, atualmente, torneio “não tem nada a ver” com as primeira edições e que é reflexo das necessidades da organização e da prova se “adaptar aos tempos”. “Ultrapassou fronteiras e hoje é um fenómeno que transforma a cidade durante vários dias”, destaca o dirigente alvinegro, relembrando que o Andebolmania “projeta o nome da cidade, do clube e da própria região”.

“Ao longo dos últimos anos o torneio tem sido uma fonte importante de receita para a secção de andebol”, sublinha ainda Luís Vargas, que destaca não só o aspeto desportivo do evento, como o convívio e confraternização que a competição tem promovido ao longo das edições com as iniciativas paralelas.

A cerca de duas semanas do arranque da competição, Emanuel Silva, um dos organizadores do evento, garante que “ainda há alguns sprints para fazer”. “Temos muito trabalho feito, mas colocar em prática uma prova desta envergadura envolve uma logística muito grande”, sublinha o responsável, destacando as preocupações ecológicas com a edição deste ano do Andebolmania. “Adaptámos um conjunto de medidas que visam reduzir o uso de plástico”, revela Emanuel Silva. Nesse sentido, os copos de café serão substituídos por equivalentes de cartão reciclável e serão eliminadas as palhinhas de plástico. A organização irá também reduzir a quantidade de garrafas e de copos de plástico e, como alternativa, irá colocar dispensados de água para reabastecimento das várias equipas. Pela primeira vez serão disponibilizados como reutilizáveis (Eco-Copo). Medidas que Rosário Gestosa, vereadora do Desporto da Câmara Municipal de S. João da Madeira, elogia e que assegura que serão o contributo para caminhar no sentido de eliminar o plástico.

Naquele que é o maior evento desportivo realizado na cidade de S. João da Madeira, o contributo da autarquia é fundamental para o sucesso do mesmo e, este ano, a organização do Andebolmania viu o apoio aumentar. “Em termos logísticos o apoio é quase total. Financeiramente demos um apoio maior porque sentimos que o evento precisava disso para crescer”, revela Rosário Gestosa, sublinhando que para além da projeção que o evento proporciona à cidade, há também “um impacto e retorno económico” para S. João da Madeira.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui