Diz Padre António Vieira: maior poder…está no tempo;

Tudo sujeita e muda. Tudo sujeita e acaba;

E o homem só assiste e espera, num contratempo;

O homem nada altera, não lhe adianta mais nada.

 

Tenta mudar nestes tempos – inteligência artificial?

Com técnicas de super-stars tudo tenta alterar,

Mudar e acelerar…julga ser aquele tal,

A conseguir novos mundos, mundos onde se apostar.

 

A ciência, ela exegética, dominará todas as metas;

Não pode mudar as causas, apenas prevê efeitos;

Mecanismo auxiliar, mas não lance as suas setas

Sobre as raízes das coisas, doutro modo erra conceitos.

 

A tecnologia conta fazer dos seus instrumentos,

Um ser robótico a sério, substituto do ser humano;

Cuidado, não julgue ser Deus nem por um momento,

De outro modo irá pensar-se que o mundo é desumano.

 

Sempre a tentar melhorar as condições sobre a Terra;

Mas de repente soçobra, face à reação natural;

Num instante é derrotada, e tudo que em si encerra

Vai-se na água ou no fogo, no holocausto universal.

 

Por isso Vieira está certo – o poder estará no tempo,

No tempo que tudo acaba, no tempo que nos sujeita;

E o homem, pela ciência, pela arte, num contratempo,

Consegue apenas ganhar o tempo que a técnica aceita.

 

Flores Santos Leite

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui