Uma das sessões públicas de apresentação da 3.ª edição do Orçamento Participativo Jovem (OPJ) Portugal contou com a presença de Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, e João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e do Desporto, no dia 28 de março, na Oliva Creative Factory em S. João da Madeira.

O OPJ Portugal é “uma iniciativa de participação democrática, principalmente nos tempos que correm em que os cidadãos se afastam das causas públicas”, disse o presidente da câmara, Jorge Sequeira, indicando que o Orçamento Participativo Municipal existe desde 2014 e o OPJ desde 2015 em S. João da Madeira.

O Governo tem 500 mil euros para aplicar nos projetos mais votados na 3.ª edição do OPJ.

Os jovens com idade entre 14 e 30 anos podem apresentar propostas relacionadas com Educação Formal e Não Formal, Emprego, Habitação, Saúde, Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Governança e Participação e Igualdade e Inclusão até ao dia 29 de abril. Os interessados podem ter acesso a mais informação no site https://opjovem.gov.pt/.

“Queríamos que Portugal fosse o primeiro país do mundo a ter um instrumento à escala nacional” como o Orçamento Participativo (Portugal, Municipal, Jovem) que permita aos cidadãos contribuir para a melhoria do seu país, do seu concelho, indicou João Paulo Rebelo, considerando que os municípios de S. João da Madeira e de Valongo são “exemplo disso mesmo”.

“Todos sabemos que S. João da Madeira é o concelho com a área mais pequena do país, mas também sabemos que tem muitas marcas na história como esta (Oliva)”, referiu Tiago Brandão Rodrigues, com base na intervenção de Jorge Sequeira que valorizou a história do município.

O ministro da Educação moderou um debate com quatro jovens que têm “deixado a marca no sítio onde estudam ou trabalham”. Eles são Carolina Duarte, atleta paralímpica, Inês Guimarães, youtuber da matemática conhecida como “Math Gurl”, Inês de Castro, presidente de uma associação de jovens, e Rui Teixeira, deputado municipal de Vila Nova de Gaia.  

Estes são jovens “participativos que estão no meio de nós” e que têm “muito para ensinar aos jovens, não tão jovens e a toda a sociedade”, concluiu Tiago Brandão Rodrigues.

Nesta sessão, o Governo distinguiu os vencedores da edição de 2018 do OPJ Portugal que tiveram a oportunidade de dar a conhecer de forma sucinta os seus projetos que pretendem colocar as escolas a dialogar com as instituições, reflorestar o máximo de área ardida, criar energia mais sustentável e amiga do ambiente, criar uma rede de desporto inclusiva e ajudar as pessoas com deficiência e os seus cuidadores.

A sessão abriu com a atuação de alunos do Conservatório de Dança do Norte e terminou com a atuação da banda sanjoanense “Sardinha também é peixe”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui