Foi com a Associação de Futebol de Lisboa na liderança da classificação, ainda que em igualdade pontual (12) com as congéneres de Vila Real, Évora e Castelo Branco, que terminou, no passado dia 11 de abril, a quarta edição do Torneio Interassociações Futsal Sub-15 Masculino. Ao longo de quatro dias, o Pavilhão das Travesses foi, mais uma vez, palco desta competição organizada pela Associação de Futebol de Aveiro e que trouxe a S. João da Madeira mais de 250 atletas oriundos de 21 seleções regionais.

O último dia de competição começou com resultado bastante dilatado, com a equipa de Viseu a golear a adversária de Ponta Delgada. Na partida seguinte o marcador esteve em constante alteração, mas o jogo foi mais equilibrado, terminando com o triunfo de Portalegre sobre Beja por 7-6, enquanto Algarve e Angra do Heroísmo acabaram por não se defrontar depois da seleção algarvia ter regressado a casa de forma forçada. Já Évora bateu Viana do Castelo, por 4-2, e Lisboa levou a melhor sobre a seleção de Coimbra (2-0). Braga, por sua vez, cedeu, por 1-2, diante a congénere de Setúbal e Castelo Branco levou a melhor no duelo com a Madeira, vencendo por 5-4, resultado que se repetiria no encontro seguinte entre Leiria e Santarém, com vantagem para os leirienses. Vila Real venceu a formação de Bragança por 4-3, e no último encontro do torneio a Associação de Futebol de Aveiro, que encerrou a competição na sexta posição, acabou goleada, por 5-0, pela congénere do Porto.

A Associação de Futebol de Beja, que terminou a competição no penúltimo lugar, sem qualquer vitória, recebeu o prémio de Seleção mais disciplinada, enquanto Alexandre Francisco, de Évora, foi o melhor marcador torneio, com nove golos marcados. Já Lisboa encerrou a prova com a melhor defesa, com apenas dois golos sofridos, enquanto o ataque mais eficaz coube a Vila Real, com 29 marcados.

De recordar ainda o cartão branco atribuído ao treinador Bruno Salgado, da Associação de Futebol da Madeira, como forma de reconhecer o fair play demonstrado pelo técnico, que na jornada inaugural retirou num dos seus jogadores do encontro, após a expulsão de um atleta adversário, como forma de manter o jogo equilibrado em termos numéricos. A esse momento de enorme desportivismo junta-se o exemplo dado pelo árbitro Marcos Ribeiro, de Vila Real, que transportou para fora das quatro linhas um atleta de Setúbal lesionado.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui