Foi em ambiente de festa e euforia que chegou ao fim, no passado dia 20 de abril, o Andebolmania mais internacional de sempre. Ao todo foram quase 2.000 atletas de 118 equipas, provenientes de sete países (Portugal, Espanha, França, Itália, Suíça, Irlanda e Eslovénia), que ao longo de quatro dias fizeram de S. João da Madeira uma autêntica capital nacional do andebol.

Num evento desportivo que é já uma referência nacional e internacional, o domínio coube a Portugal, que venceu em cinco dos sete escalões em competição, com o primeiro lugar dos restantes dois a serem ocupados por clubes espanhoís. Com 12 equipas em prova, distribuídas pelas várias classes, a melhor prestação da Sanjoanense registou-se em minis e infantis masculinos com o clube alvinegro a chegar à final, onde acabaria por ceder diante dos respetivos adversários, enquanto em iniciados masculinos o percurso terminou nas meias-finais, após um livre de sete metros que ditou a derrota do clube organizador. No escalão mais jovem a Sanjoanense acabaria por ceder, frente ao Águas Santas, por 16-27, enquanto em infantis masculinos a final foi mais equilibrada, mas com os alvinegros a perderem, diante do BM Delícias, por 23-27. “O objetivo do torneio era dar muita competição aos nossos jogadores”, sublinha Emanuel Silva, um dos responsáveis pela organização do evento, que, ainda assim, destaca a excelente prestação do clube alvinegro. “Isto mostra que a Sanjoanense tem uma boa escola e que está ao nível de grandes equipas da Europa”, garante Emanuel Silva.

Águas Santas foi o clube que mais vezes subiu ao lugar mais alto do pódio, vencendo em minis e em iniciados e juvenis masculinos. Nos restantes escalões os primeiros lugares foram divididos entre equipas portuguesas e espanholas, com os “vizinhos” AD Carballal e BM Delicias a triunfarem em infantis femininos e masculinos, respetivamente. Já o Gil Eanes venceu em iniciados femininos, enquanto o CB Perestrelo alcançou o primeiro lugar em juvenis femininos.

Nesta que foi “a edição mais internacional de sempre” do Andebolmania, Itália, Suíça, Irlanda e Eslovénia marcaram presença pela primeira vez nesta competição onde Espanha continua a ser o país mais representando em número de equipas. “Foram sete países que estiveram presentes. Queremos continuar neste processo de internacionalização e trazer equipas de outros países com historial no andebol, como Alemanha ou países nórdicos”, refere o responsável, que traça um “balanço extremamente positivo” do evento que agora chegou ao fim. “Tivemos muitos jogos e casa cheia ao longo dos vários dias”, sublinha Emanuel Silva, destacando também o “aumento de competitividade”. “O feedback que temos recebido das equipas é muito bom”, acrescenta o organizador, que, no entanto, reconhece que “há sempre possibilidade para melhorar”. “Fomos conversado com as pessoas, mas pretendemos lançar um inquérito para avaliar a opinião relativamente ao evento, para que no próximo ano as coisas corram ainda melhor”, garante. E o “processo de inscrição e o fluxo de informação” são já pontos que a organização pretende melhorar na próxima edição. “Começámos a receber inscrições com alguns meses de antecedência e temos de melhorar essa base de dados para que toda a organização tenha acesso. Se alterarmos isso é possível articular melhor várias situações, como as refeições, horários de transporte e até o alojamento. Além disso, pretendemos melhorar a plataforma de gestão da competição. Queremos que os resultados fiquem disponíveis, tanto no site, como nas redes sociais, ou até numa aplicação específica, um minuto após o fim do jogo”, explica Emanuel Silva, sublinhando ainda o facto de o torneio ter a possibilidade de “ir um bocado mais longe”, no que diz respeito ao número de equipas participantes. Face às dificuldades com que a organização se tem deparado no que diz respeito ao alojamento dos atletas, a edição deste ano contou com uma redução significativa de equipas relativamente a 2018, ficando-se pelas 118. No entanto, Emanuel Silva acredita que “há possibilidade de crescer mais um bocado” e “120 a 130 equipas será o número ideal”.

Classificações:

Minis

1.º Águas Santas

2.º ADS A

3.º Torrellano BM

14.º ADS B

15.º ADS C

Infantis femininos

1.º AD Carballal

2.º UB Lavadores

3.º BM Delicias

16.º ADS

Infantis masculinos

1.º BM Delicias

2.º ADS A

3.º BM Culleredo A

11.º ADS B

iniciados femininos

1.º Gil Eanes

2.º CB Perestrelo

3.º Urnietako A

8.º ADS B

16.º ADS A

Iniciados masculinos

1.º Águas santas

2.º CB Tui

3.º BM Ardoi

4.º ADS A

Juvenis femininos

1.º CB Perestrelo

2.º Gil Eanes

3.º DFH/Xico Andebol

11.º ADS

Juvenis masculinos

1.º Águas Santas

2.º Portugal

3.º BM Tui

8.º ADS A

15.º ADS B

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui