Iniciativa da CPCJ sensibilizou para a prevenção dos maus tratos infantis

 Depois de ter sido adiada uma vez, a 6 de abril, devido a “condições meteorológicas adversas”, a iniciativa “12h a correr por uma causa” saiu à rua – entenda-se Praça Luís Ribeiro e imediações – este último sábado, no qual “o sol brilhou” e até o céu “se vestiu de azul”.

Em declarações ao labor, a presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de S. João da Madeira não poupou emoção quando falou sobre estas 12 horas “repletas de azul, colaboração, motivação e muita alegria!”. Este ano, segundo Micaela Marques, apesar de não terem superado as edições anteriores em termos número de participantes, “superámos no impacto criado, avaliado por ora, de forma qualitativa, pelo feedback que a organização foi recebendo por parte dos participantes, voluntários e parceiros colaborativos presentes”.

Mesmo consciente que havia outros eventos em simultâneo, entre os quais o Party Sleep Repeat, o Festival de Teatro de S. João da Madeira, as comemorações do 25 de Abril, etc., a CPCJ achou por bem realizar as “12h a correr por uma causa” num dia de bom tempo, “pela segurança e pelo bem-estar dos participantes e voluntários, mesmo correndo o risco de termos menos participantes”.  “E valeu a pena!”, garantiu a sua líder.

“A cidade abraçou a causa e fez-se presente e bem presente”, tendo participado “691 pessoas, perto de 100 voluntários e 21 elementos da organização, vestidos de azul”.

“S. João da Madeira mostrou que está na linha da frente” quanto à prevenção dos maus tratos infantis

Quem participou foi desafiado “de diferentes formas”, disse Micaela Marques ao nosso jornal, concretizando: “Ao longo do percurso existiam quatro paragens, onde os participantes tinham que carimbar o passaporte que recebiam no check- -in, se cumprissem o desafio”.

“O primeiro posto de paragem era o dos ‘Afetos’, que contou com a presença de outras CPCJ, nomeadamente das de Santa Maria da Feira, Espinho e Vale de Cambra na sua dinamização, e onde os voluntários desafiavam os participantes a trocarem afetos”, prosseguiu a responsável, afirmando ainda que “o abraço foi o  (afeto) mais dinamizado e o mais intenso, pois este gesto era promovido não só entre voluntários e participantes, mas também, sempre que possível, com outras pessoas que por ali circulavam, implicando-as também neste evento (apesar de não serem contabilizadas)”.

Já na segunda paragem – “Toca a Mexer” – cuidou-se do corpo e da mente: “Ao longo do dia foram dinamizadas diferentes masterclasses pelo Ginásio Equilíbrio Fit e pelo Sistema Elite DP – Academia S. J. Madeira, permitindo aos participantes experienciarem diferentes modalidades e quem sabe motivar alguns indecisos a cuidar mais de si”.

O terceiro posto, “Fora da Caixa”, foi, na ótica de Micaela Marques, “um dos mais desafiadores”, uma vez que se propunha “um jogo de verdade ou consequência sobre o tema da promoção dos direitos e proteção das crianças e jovens, em que uma resposta errada conduzia o participante a uma atividade, permitindo aos que por ali eram desafiados a perceber que por vezes, encontramos coisas fantásticas fora da nossa zona de conforto”.

Por fim, havia o posto “Toca a Falar”. Neste foi explorado “o lado positivo dos smartphones e os participantes foram desafiados a deixarem um testemunho em vídeo e em papel”.

Entretanto, por volta das 18h00, a CPCJ construiu um “laço azul humano”, ao som da música dos Prana “Não me vou calar” e envolvendo “participantes, voluntários, organização e outras pessoas que por ali estavam a passear e nas esplanadas”. A “número um” da CPCJ sanjoanense referiu-se a esta parte do programa como “um momento arrepiante”.

Esta é, em seu entender, “a melhor sensibilização que a CPCJ pode fazer: alertar e envolver cada um de nós numa causa que é de todos!”. Além disso, para Micaela Marques, “S. João da Madeira mostrou [no passado dia 27] que está na linha da frente” quanto à prevenção dos maus tratos infantis.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui