O balanço é “positivo” na comunidade escolar. “Até ao fim do mandato vamos tentar encontrar soluções para chegar até a uma hora por dia”, informou o autarca Jorge Sequeira

A Câmara Municipal de S. João da Madeira pôs em prática a medida de uma hora de Educação Física por semana, em que o professor titular do 1.º ciclo, que é responsável por lecionar todas as disciplinas, é coadjuvado por um outro professor formado em Educação Física, neste ano letivo 2018/2019 que está quase a chegar ao fim.

O Município “contratou um grupo de professores que já colaboram nas Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC´s), mas que para além do trabalho que fazem nas AEC´s vêm à componente curricular normal, ao horário normal dos alunos, auxiliar os professores titulares a ministrar a aula de Educação Física” depois de “nos apercebemos que alguns dos professores titulares não tinham, digamos, apetência ou a qualificação específica própria para dar esta aula de Educação Física com a qualidade que era devida”, explicou o presidente Jorge Sequeira durante a aula de Educação Física realizada no dia 13 de junho na escola de Carquejido, para a qual foi convidada a comunicação social.

Esta medida foi estabelecida em parceria com todos os agrupamentos de escolas depois de ter recebido o acordo de todas as direções. “Na última reunião que tivemos do Conselho de Educação Municipal as associações de pais fizeram um balanço muito positivo desta medida e eu penso que esse é o sentimento geral da comunidade escolar”, deu a conhecer Jorge Sequeira.

Para o autarca esta medida “é uma política de combate à obesidade, ao sedentarismo, de fomento do exercício físico formal e informal, o que é hoje uma necessidade evidentemente sentida por toda a comunidade”, aproveitando a oportunidade para mencionar uma outra iniciativa camarária, coordenada pelas divisões de educação e  do desporto, e que consiste em levar os alunos do 3.º ano ao Pavilhão das Travessas com o intuito de “proporcionar o contacto das crianças com um ambiente de pavilhão e da prática de desporto”.

A medida de uma hora de Educação Física semanal no 1.º ciclo é lecionada pelos professores titulares apoiados por 18 professores com formação em Educação Física das AEC´s, abrange 52 turmas de 1.º ciclo, o que equivale a cerca de 1.200 crianças, dos três agrupamentos escolares e significa um investimento adicional de cerca de 50 mil euros anuais por parte do Município.

Apesar da medida de uma hora de Educação Física por semana ser uma novidade, uma das bandeiras eleitorais da campanha de Jorge Sequeira era implementar uma hora de Educação Física por dia no 1.º ciclo. Mas isso não acontecerá, pelos menos, no próximo ano letivo 2019/2020.

O presidente da câmara informou que “no próximo ano letivo o modelo vai continuar a ser uma hora (de Educação Física) por semana, mas até ao fim do mandato vamos tentar encontrar soluções para chegar até a uma hora por dia”.

Não escondendo, em nome do executivo que lidera, que “ambicionamos mais”, Jorge Sequeira afirmou que o objetivo é “caminhar nesse sentido porque essa foi uma das nossas bandeiras eleitorais”. Em relação ao caminho feito ao longo deste ano letivo com a implementação desta medida “altamente relevante e significativa que propaga os bons valores”, “este ano estamos melhor do que estávamos no ano passado. Disso não há dúvida rigorosamente nenhuma”, salientou o autarca sanjoanense.

 “Uma mais-valia”

A implementação desta medida de apoio ao professor titular do 1.º ciclo que é responsável por lecionar todas as disciplinas é “uma ajuda preciosa. Tal como é o projeto dos Pequenos Cientistas Sanjoanenses”, considerou Sílvia Augusto, subdiretora do Agrupamento de Escolas João da Silva Correia.

Esta medida é “uma mais-valia”, assumiu Helena Freire, professora titular da turma de 1.º ano da escola de Carquejido, depois da aula de Educação Física que lecionou com o apoio de Ricardo Silva, professor de Educação Física.

“Para qualquer ano escolar ter um apoio é mais produtivo, o professor tem técnicas próprias da área dele que nos ajudam bastante a desenvolver outro género de exercícios e a colaborar”, reafirmou Helena Freire. A reação dos alunos a esta aula que agora conta com o apoio de um professor especializado na área é mais do que positiva.

“Eles adoram, colaboram e vemos uma evolução grande ao nível motor. Eles esforçam-se muito e vão evoluindo com a prática, calma e persistência”, constatou a professora titular, indicando ainda a vantagem de nesta aula ser possível trabalhar com o “grupo todo” porque as AEC´s não são obrigatórias.

Na opinião de Ricardo Silva, professor de Educação Física, “esta hora coadjuvada veio trazer um grande benefício para todos os alunos”. Não só pelo facto de “nesta hora coadjuvada estão todos”, o que não acontece nas AEC´s cuja frequência não é obrigatória, mas também por ser “uma oportunidade para todos os meninos fazerem, no mínimo, uma hora de desporto”, indicou Ricardo Silva.

Para o professor esta é “uma iniciativa brilhante” e “muito importante” em que “todos juntos conseguimos desenvolver um trabalho muito benéfico para todos os meninos”.

A evolução de uma hora de Educação Física semanal para uma hora por dia no 1.º ciclo tornará esta iniciativa “ainda melhor”, considerou Ricardo Silva que como professor de Educação Física defende que é “muito importante uma hora diária, ou seja, cinco semanais, desde o 1º ciclo para o desenvolvimento deles”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui