As 31 propostas aprovadas pelo ao Orçamento Participativo Municipal de S. João da Madeira (OPSJM) podem ser votadas até ao dia 30 de junho.

Depois do labor ter dado a conhecer 15 das 31 propostas na edição da semana passada, apresenta as restantes 16 propostas nesta edição. Relembramos que cada cidadão terá de votar em duas propostas de cada categoria (geral para propostas até 15 mil euros, geral para propostas superiores a 15 mil euros e juventude), ou seja, tem de votar seis vezes no total. O modo de votação tem uma novidade. Para além do voto presencial e online, os cidadãos terão a oportunidade de, pela primeira vez, dar o seu voto através de sms. Para usar este novo método, as pessoas têm de enviar uma mensagem para o número 927 529 636 com o código atribuído às propostas em que querem votar. O envio de sms não tem custos acrescidos, no entanto, e dependendo do seu tarifário, poderá ter um custo de uma mensagem para uma rede nacional.

Quem quiser pode ter acesso a mais informações em www.opsjm.ptou através dos contactos info@opsjm.pte 926 594 285.

Brincar é tão importante quanto aprender

A proposta “Brincar é tão importante quanto aprender” de Pedro Regadas, no valor de 25 mil euros, pretende “criar melhores condições para as crianças, tanto a nível de segurança como a nível de qualidade, em termos de espaço físico” na Escola EB1/JI Conde Dias Garcia com “a criação de um espaço comum capaz de juntar as crianças em dias de chuva, nos intervalos e a comunidade educativa em diversas atividades anuais e em encontros e palestras”, lê-se no site do OPSJM.

Caderneta Verde do Munícipe

A proposta “Caderneta Verde do Munícipe” de Ana Couto tem o valor de 15 mil euros.

O objetivo é que o Município crie um livro com informações sobre como separar e onde colocar o lixo, sobre o Ecocentro da cidade e sobre outras entidades ligadas ao lixo urbano. O Município “primeiro ensina, depois fiscaliza e a seguir sanciona”, explica a proponente sobre este processo que “faz parte da cidadania, quando cada cidadão é responsável pelo seu lixo, protege a Cidade, o Outro, o Ambiente, a Natureza, o Planeta”.

Equitação Terapêutica

A proponente Maria Melo apresenta a proposta “Equitação Terapêutica” no valor de 28.200 euros.

Este projeto pretende “desenvolver 960 sessões de equitação terapêutica gratuitas durante o ano letivo 2019/2020 para as crianças com necessidades educativas especiais oriundas de famílias desfavorecidas que não tenham possibilidades de frequentar este tipo de atividades” num centro hípico próximo de S. João da Madeira, lê-se na descrição da proposta no site do OPSJM.

Espaço Florestal de Gestão Participada 

A proposta “Espaço Florestal de Gestão Participada” de Bruno Almeida custa 7.500 euros.

O objetivo deste projeto é “a realização de várias sessões de trabalho dirigidas à população com vista à plantação (ou substituição se necessário) do maior número de árvores, preferencialmente autóctones, em espaço urbano”, explica o proponente no site do OPSJM, com a ressalva de que “será dada particular importância aos argumentos apresentados pela população e aos principais condicionalismos ao desenvolvimento das árvores em espaço urbano”.

Ténis adaptado

A proposta “Ténis adaptado – Adaptação de campos de ténis para atletas portadores de limitações funcionais” de António Fial tem o custo de 60 mil euros.

“Numa sociedade que apresenta cada vez mais doenças decorrentes do sedentarismo, que comportam um elevado custo socioeconómico, o ténis surge como um dos meios capaz para as combater”, indica o proponente, considerando que, “através da criação e melhoria das condições para a sua prática, pretende-se potenciar a modalidade para benefício da população de S. João da Madeira”.

Iniciação à Programação

A proposta “Iniciação à Programação no primeiro Ciclo do Ensino Básico – Agrupamento de Escolas João da Silva Correia” de António Garcia tem o custo de 67.600 euros.

O projeto visa“a implementação da Iniciação à Programação com alunos do 3.º e 4.º anos do ensino básico, num percurso de aprendizagem de modo evolutivo, podendo adaptar-se às caraterísticas específicas de cada uma das escolas do agrupamento, num processo desenvolvido em articulação entre formador/orientador de uma entidade externa e o professor titular de turma”, segundo a descrição do mesmo.

Programa S(AB)ER

O “Programa ´S(AB)ER´” é a proposta de Raquel Mortágua no valor de 39.100 euros.

As Associações de Pais e Encarregados de Educação das Escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Pré-Escolar, com a aprovação dos agrupamentos de escolas, estruturaram em conjunto este projeto com vista à criação de uma bolsa de formadores e/ou terapeutas especializados para colaborar em diferentes áreas com vista à promoção de competências emocionais e sociais nas crianças no próximo ano letivo 2019/2020.

SJMev – Cidade Sustentável e Elétrica

A proposta “SJMev – Cidade Sustentável e Elétrica” de Hélder Aguiar, no valor de 68 mil euros, tem como “objetivo principal colocar S. João da Madeira na vanguarda dos municípios preparados para a revolução da mobilidade sustentável, permitindo que os sanjoanenses possuam condições logísticas para poderem optar livremente pelos veículos elétricos retirando todas as vantagens”, lê-se na proposta disponível no site do OPSJM.

Parque Infantil Adaptado

A proposta “Parque Infantil Adaptado” de Maria Melo tem o valor de 14 mil euros. O objetivo é, tal como o próprio nome indica, criar um parque infantil adaptado para crianças com necessidades especiais, com mobilidade reduzida e com dificuldades motoras e/ou inteletuais. O projeto inclui um baloiço adaptado para cadeira de rodas e um parque adaptado com escorrega com uma plataforma de fácil acesso.

Disponibilização de Mapa 24H no Centro de Saúde

A “Disponibilização de MAPA 24H no Centro de Saúde de S. João da Madeira” é a proposta de Hélder Aguiar no valor de 6.600 euros. A MAPA (Medição em Ambulatório da Pressão Arterial) é “um exame realizado apenas a nível hospitalar, não estando convencionada comparticipação para a sua realização no ambulatório” e “uma das formas de ultrapassar esta barreira económica é a dos próprios serviços disponibilizarem a MAPA aos utentes e de os seus profissionais fazerem a leitura e interpretação do exame”, indica o proponente. 

Tour Detection

A proposta “Tour Detection” de Pedro Rocha custa três mil euros. A ideia é organizar um evento de detectorismo na região com o objetivo de “mostrar como detetorismo é uma atividade interessante e com uma boa intenção”, lê-se na proposta apresentada no site do OPSJM. Para além de “juntar detectoristas de todo o país”, “limpamos a área pública”, explica o proponente, propondo a atribuição de prémios a quem mais recolher lixo.

Voz Descalça

A proposta “Voz Descalça” de Simão Rocha tem o custo de 12.900 euros. Este projeto tem como principal objetivo“a criação de um coro comunitário de livre acesso a qualquer cidadão que cante num coro da cidade ou que tenha vontade de cantar (desde crianças a idosos)”. Para além disso, fomentar o gosto pela música coral, a recolha de repertório adequado ao projeto que querem desenvolver com a comunidade, promover a comunicação entre diferentes gerações e realidades e a inclusão da comunidade.

Cobertura para acesso ao edifício escolar

A proposta “Cobertura para acesso ao edifício escolar” de José Dias tem o custo de 25 mil euros. Como “as crianças da EB1/JI do Parrinho têm que percorrer cerca de 100 metros desde que entram no portão até à entrada no edifício escolar” e “apenas metade desse percurso está coberto, o que implica que em dias de chuva as crianças cheguem, muitas vezes, molhadas à sala de aula, pretende-se, com este projeto, minorar esta situação, apresentando-se uma solução, ao mesmo tempo, agradável em termos visuais e estéticos”, explica o proponente.

Cobertura para parque infantil

A proposta “Cobertura para parque infantil” de Filipa Rosário tem o custo de 70 mil euros.

“As EB1 e JI de S. João da Madeira estão apetrechadas com parques infantis” que não podem ser usados “em dias de chuva ou de frio intenso” nem é aconselhável o seu uso “nos dias de sol forte”, o que levou a proponente apresentar esta solução que “permitirá que as crianças possam usar essas diversões, sem ficarem queimadas (pois essas diversões estão expostas ao Sol) e ficarem mais protegidas desse elemento”.

Encontra-te – Encontro de Jovens

A proposta “Encontra-te – Encontro de Jovens” de Joana Correia custa 35 mil euros, e prevê a organização do maior encontro de jovens nacional, entre os 15 e os 25 anos, em S. João da Madeira. A ideia é juntar jovens que vão ou estão a frequentar o ensino secundário e jovens que estão no ensino superior ou ingressaram no mercado de trabalho para que possam ter conhecimento de diferentes realidades e estejam melhor preparados para fazer as suas escolhas futuras. O encontro pretende ser “informal, com momentos intensos de partilha, discussão e reflexão de temas relevantes para o jovem neste âmbito e que se irão revelar decisivos no seu futuro”, lê-se no site do OPSJM.

Incentivo Social à Atividade Física

A proposta “Incentivo social à atividade física” de Bruno Cassoni tem o custo de 2.500 euros. “A Associação de Moradores do Orreiro, em conjunto com o Atletismo dos Serviços Sociais, tem criado uma dinâmica de interação e inclusão com moradores e não moradores de todas as faixas etárias” tanto ao nível desportivo, de saúde e de bem-estar, bem como cultural e educativo. Nesse sentido, a proposta pretende comprar material que permita criar condições materiais, desportivas e recreativas que necessitam para conseguirem chegar ao maior número de pessoas possível no campo físico, segundo a proposta apresentada no site do OPSJM.

Errata

Na notícia “Orçamento Participativo– Propostas à votação até ao fim do mês” publicada na edição da semana passada, dia 13 de junho, onde se lê: “Para usar este novo método, as pessoas têm de enviar uma mensagem para o número 927 529 636 com o código: 55014641”, deve ler-se: “Para usar este novo método, as pessoas têm de enviar mensagem para o número 927 529 636 com o código atribuído às propostas em que querem quer votar”.
Lamentamos o lapso aos visados e aos leitores do jornal labor.

Voto presencial em três locais 

Os cidadãos que quiserem votar presencialmente nas propostas do Orçamento Participativo de S. João da Madeira podem fazê-lo em três locais até ao dia 30 de junho.

Eles são a junta de freguesia que funciona de segunda a sexta-feira das 9h00 às 17h00 e à terça-feira das 9h00 às 19h30, a câmara municipal que funciona de segunda a sexta-feira das 9h00 às 16h30, e o Complexo Desportivo Paulo Pinto que está aberto de segunda a sexta-feira das 9h30 às 22h30, aos sábados, das 9h30 às 18h30 e aos domingos das 9h30 às 12h00.

Até ao momento, o Município recebeu “cerca de 300 registos, 230 na plataforma online e/ou mensagem e 83 presenciais”, informou o secretário da vereação Victor Cabral à comunicação social.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui