Festival do Chapéu começa a 19 de julho com espetáculo do mágico português

Esta última quarta-feira, a pouco menos de um mês do arranque do Hat Weekend em S. João da Madeira (SJM), o Município convocou a comunicação social para apresentar o programa deste evento que vai para a sua terceira edição e que, a julgar pelas declarações de Jorge Sequeira já no final da conferência de imprensa (CI), será para continuar. Pelo menos, o autarca garantiu que “vamos fazer todos os esforços” tendo em vista a continuidade do Festival do Chapéu que até agora tem sido financiado por fundos comunitários, mas que para que “se possa repetir” vai ter de contar com a colaboração de parceiros. Este ano, já tem alguns, contudo, a ideia é vir a ter mais no futuro.

Recorde-se que, tal como foi noticiado oportunamente pelo labor tanto esta edição de 2019 como a do ano transato representam um “investimento” na ordem dos 376 mil euros, 80% dos quais comparticipados por fundos comunitários e os restantes 20% assumidos pela edilidade sanjoanense.

Inauguração de mais um mural esta sexta-feira na Devesa Velha

O presidente da câmara deu esta CI na sala de exposições temporárias do Museu da Chapelaria, estando acompanhado por, entre outros, Mário Daniel e Tara Deacon. O ilusionista português encontra-se a “desenhar” um espetáculo para SJM, sendo certo que a noite de 19 de julho, a partir das 22h00, vai ser “verdadeiramente mágica” na Praça Luís Ribeiro.

Já Tara Deacon, chegada há poucos dias à cidade, é a artista que está a fazer a quarta das cinco obras programadas no âmbito do Circuito de Arte Urbana comissariado pelo Canal 180. A inauguração da peça da autoria desta jovem oriunda da Alemanha, que pretende ser uma homenagem às “pessoas que fazem parte do legado da indústria chapeleira, está prevista para esta sexta-feira, pelas 19h00, na Rua Dom Dinis, na Devesa Velha.

A criação do último dos murais, na Rua Padre António Oliveira, mais conhecida por “rua dos bares”, na Praça Luís Ribeiro, estará a cargo de Jonathan Calugi, oriundo de Itália. O ato inaugural está marcado para o primeiro dia do Hat Weekend às 20h00.

Com este Circuito de Arte Urbana, composto também por criações de Mariana, a Miserável (Museu da Chapelaria), Andrés Lozano (Cooperativa 11 de Outubro) e André da Loba (Bairro do Orreiro), a autarquia quer, segundo o seu líder, “abolir a ideia de periferia” e instituir a de que “toda a cidade é centro”.

Labirinto Sensorial da Associação de Jovens Ecos Urbanos promete voltar a surpreender

Da programação deste “festival multifacetado e multidisciplinado”, com o qual a câmara quer “celebrar o chapéu” enquanto elemento identitário e cultural de SJM e, sobretudo, “trazer as pessoas para a rua”, destaca-se, por exemplo, o Labirinto Sensorial promovido, pelo segundo ano consecutivo, pela Associação de Jovens Ecos Urbanos (AJEU). Uma vez mais, esta associação sanjoanense promete surpreender, tal como fez em 2018, apresentando ao público, desta feita no Museu da Chapelaria, um novo Labirinto Sensorial construído a partir de uma “Fundição de Memórias” sobre o chapéu e que vai ser inaugurado na sexta-feira, 19 de julho, às 19h00.

Esta iniciativa está a ser criada, conforme explicou Maria João Leite, da AJEU, por um coletivo de 12 artistas, envolvendo ainda antigos chapeleiros, o Grupo de Tricô do Bairro do Orreiro, dança criativa e uma oficina de artistas, num total de mais de 70 elementos da comunidade local.

Nota ainda para o espetáculo “Lúmen – Uma História de Amor”, com cerca de 80 participantes, inclusive elementos da Banda de Música de S. João da Madeira, e recurso a marionetas de grande dimensão (dia 20 de julho, às 22h00, e que vai percorrer várias partes da cidade, entre as quais o Museu da Chapelaria e a Praça 25 de Abril), e a performance de comunidade com o coletivo do Porto Ondamarela com grupos da terra e músicos convidados (dia 21, às 20h15, na Praça Luís Ribeiro).

Decorrendo no fim de semana de 19 a 21 de julho, o Hat Weekend vai ter, desta feita, horário prolongado (ver caixa). Aliás, esta foi uma das novidades salientadas por Joana Galhano, diretora do Museu da Chapelaria, no passado dia 26 de junho.

Mais informações em www.hatweekend.com.

 

Hat Weekend em números

 

Mais de 60 atividades

40 grupos/artistas participantes 

Mais de 300 cidadãos envolvidos

16 restaurantes participam no Roteiro Gastronómico do Coelho e da Lebre

 

Horário de funcionamento

 

Sexta-feira: das 19h00 às 2h00

Sábado:  das 11h30 às 2h00

Domingo: das 11h30 às 22h00

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui