FPF reconhece Sanjoanense e Dínamo como Entidades Formadoras Certificadas

0
117

Depois de um longo processo, a Associação Desportiva Sanjoanense e o Dínamo Sanjoanense são, desde finais de junho, Entidades Formadoras Certificadas reconhecidas pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Num processo dividido por várias etapas e que tem como objetivo aumentar os padrões de qualidade da formação em Portugal, em 2015 a FPF cumpria um imperativo legal e dava início à certificação dos clubes como entidades que disponibilizam formação nas modalidades de futebol e futsal a jovens praticantes até aos 19 anos.

Para Élio Almeida, coordenador do futebol de formação do clube alvinegro, o reconhecimento “é, acima de tudo, uma responsabilidade”. “Sabemos que temos regras a cumprir e não podemos relaxar na organização da nossa formação. Cada vez mais temos que melhorar a nossa organização e a qualidade do nosso trabalho”, esclarece o responsável, sublinhando que o clube foi obrigado a melhorar as condições para obter a certificação, mas que agora passa a “poder rubricar com os atletas mais jovens contratos de formação”. “Acredito que assim iremos conseguir segurar os melhores jogadores e tornarmo-nos num clube mais competitivo”.

“Agora podemos celebrar contratos com jovens que nos podem proteger e defender a nível monetário com possíveis saídas de atletas para outros clubes”, refere, por sua vez, Paulo Moreira, presidente do Dínamo Sanjoanense, para quem a certificação “é o reconhecimento, pelas entidades competentes, de que o clube tem uma estrutura para se destacar ao nível organizativo e as condições necessárias, em relação aos demais, para que os atletas, treinadores e staff possam desempenhar melhor as suas funções em prol do futsal”.

Para este dirigente, e depois da organização a que o clube se viu obrigado para se candidatar, a meta passa, agora, por “dar continuidade ao trabalho e melhorar em alguns aspetos”.

Tratando-se de um processo que tem como objetivo estimular a melhoria da qualidade da formação no futebol e futsal, Sanjoanense e Dínamo passam, agora, a fazer parte do lote de clubes reconhecidos pela FPF como Entidade Formadora Certificada. Élio Almeida reconhece que as responsabilidades são maiores, mas sublinha que há muito o futebol de formação do clube alvinegro tem vindo a trabalhar no sentido da melhoria constante. “Com as alterações que aconteceram na estrutura da formação há duas épocas atrás tudo mudou. Trabalhámos sempre para sermos melhores, mas sabemos que ainda temos um caminho a percorrer. Somos mais responsáveis, pois todos os anos temos de renovar a certificação e existem vários parâmetros nos quais não podemos falhar”, esclarece o coordenador, relembrando que “são 60 itens obrigatórios, desde a parte desportiva, médica e estrutural que o clube tem de cumprir de forma quase perfeita”. Critérios que, ainda que exigentes, não parecem trazer grande preocupação. “As pessoas que estão à frente da formação já são exigentes só por si, por isso penso que estaremos mais atentos para não existirem falhas”, explica Élio Almeida, que espera que este reconhecimento também sirva para potenciar os jovens do clube na equipa sénior.

Realçando que a “estrutura da formação está a ser analisada e avaliada”, no sentido de se perceber onde é necessário melhorar ou reforçar, o coordenador sublinha que a certificação “obriga a um maior número de pessoas ao serviço do clube quer na parte técnica como médica”.

Para o Dínamo Sanjoanense as exigências também aumentam com a certificação atribuída pela FPF, mas Paulo Moreira esclarece que as “alterações organizacionais e estruturais necessárias”, como parte de todo o processo, “foram sendo feitas ao longo da época que agora terminou”. “Tivemos de passar a documentar tudo o que fazemos e da forma mais homogénea possível a nível técnico, médico e organizativo, em função de todos os critérios que as normas exigem”, explica o presidente do Dínamo, reconhecendo que agora as responsabilidades também são maiores. “Sabemos que este ‘galardão’ nos obriga a ser mais exigentes com nós próprio, mas também temos a necessidade de exigir mais aos outros”, refere, sublinhando que as vantagens não se aplicam apenas ao clube, mas a todos que nele trabalham. “A partir deste momento o Dínamo está em igualdade organizacional para competir e candidatar-se a apoios e subsídios que surjam da parte da FPF”, explica.

O processo de certificação está dividido em sete etapas e assenta no cumprimento de vários critérios, como o planeamento e orçamento, estrutura organizacional, recrutamento, formação desportiva, acompanhamento médico-desportivo, formação pessoal e social, recursos humanos, instalações e produtividade.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui