S. João da Madeira, uma cidade verde, com menos plástico e mais ambiente

0
354

Vivemos hoje, à escala global, o enorme desafio das alterações climáticas que estão a mudar, de forma estrutural, o nosso país e o mundo. Seja pela transformação digital, seja pela transição energética, seja pelas políticas públicas que têm de ser adotadas de forma a mudar o paradigma no que à produção e tratamento de resíduos diz respeito.

Sabemos, hoje, que se quisermos continuar a viver saudavelmente, com um desenvolvimento sustentável e democrático temos de agir e incorporar nas nossas preocupações do dia-a-dia e nas nossas opções políticas as questões ambientais, energéticas, de higiene e de espaços verdes.

O Governo de Portugal tem sido dos mais proativos a dar os passos que a humanidade terá de dar para fazer atempadamente a transição energética. Hoje somos o primeiro país do mundo a elaborar e aprovar um roteiro que nos levará, em 2050, à neutralidade das emissões de CO2 e de outros gases nocivos. Este é, e tem de continuar a ser, um desígnio coletivo para Portugal assumir nas próximas décadas, e deve unir políticos, economia e sociedade, pois é um desígnio que só poderá ser alcançado se todos fizerem a sua parte.

E em S. João da Madeira também o estamos a fazer:

Implementando medidas de combate ao plástico descartável em eventos públicos. No evento “A Cidade no Jardim” foram utilizados perto de 12 mil copos reutilizáveis, uma medida que evitou o consumo de mais de 60 mil copos e garrafas de plástico descartável. No “Andebolmania” a câmara promoveu a introdução, pela primeira vez, de bebedouros e copos reutilizáveis, evitando o desperdício de 10 mil unidades de plástico descartável. Já no “Carnaval das Escolas” a utilização de copos biodegradáveis, amigos do ambiente, evitou a utilização de, pelo menos, 1.600 garrafas de plástico, tendo como referência o número das que foram entregues no desfile do ano passado.

Modernizando a iluminação pública para LED.Vão ser substituídas 1.613 luminárias por tecnologia LED, criando uma redução superior a 70% de emissões carbónicas, reduzindo drasticamente a pegada ecológica, mas também a fatura da energia em cerca de 140 mil euros/ano.

Empreendendo campanhas de reciclagem nas escolas e requalificando os ecopontos escolares.A câmara municipal, em parceria com a concessionária do serviço de limpeza urbana da cidade, tem realizado um conjunto de ações de sensibilização ambiental junto de crianças das escolas, que são o lugar de sementeira onde por excelência devem ser aplicadas estas medidas, para que estes levem para casa a mensagem de que é fundamental reduzir a produção de resíduos, incentivando à sua separação e reciclagem.

Lançando um programa para a remoção das coberturas de fibrocimento dos edifícios públicos do município.No Pavilhão Paulo Pinto, onde por dia passam centenas de jovens de todas as idades, foi já concluída a remoção total das coberturas de fibrocimento. No âmbito deste programa, durante o verão deste ano, serão substituídas as coberturas das Escolas Básicas de Casaldelo e da Devesa Velha; e já foram intervencionados os edifícios da Escola de Fundo de Vila, da Escola do Parrinho e do Jardim de Infância das Travessas, num investimento global que já ascende a cerca de 450 mil euros.

Valorizando os espaços verdes.Está em curso um procedimento para a contratação de cinco novos jardineiros municipais; foi contratada uma empresa especializada para que todos os jardins e espaços verdes do concelho estejam adequadamente tratados, desde pequenos a grandes relvados públicos, sejam no centro da cidade ou nos bairros. Porque este executivo municipal olha para todo o território e não apenas para as avenidas centrais. Foi instalada também nova sinalética nas entradas do Parque do Rio Ul, que tem muito para conhecer, como a Casa da Eira, a Casa da Natureza, a Casa do Forno e o Moinho. Foram ainda disponibilizados QR Codes para que através dos nossos smartphonespossamos conhecer a biodiversidade deste espaço verde ímpar da nossa cidade.

Criando um projeto-piloto de recolha de agulhas usadas resultantes da administração de insulina e de outros tratamentos, evitando que acabem depositados no lixo doméstico.Um projeto dirigido a doentes crónicos e outros sujeitos a tratamentos pontuais, residentes no concelho, que passam a poder encaminhar – de forma segura, ambientalmente responsável e gratuita – este tipo de resíduos, nomeadamente agulhas e seringas. O levantamento e entrega destes contentores é feito no Fórum Municipal, seguindo depois para incineração por uma empresa especializada. Requalificando as infraestruturas do Sistema de Drenagem e Tratamento de Águas Residuais.Um problema que denuncia um desinvestimento durante décadas no subsolo, que apresenta graves sinais de degradação. Perdas de água e abatimentos de vias rodoviárias vão ser evitados, o que é positivo para o ambiente e para o erário público. O PS terá, por isso, a ingrata, mas digna, tarefa de investir recursos de todos naquilo que é invisível para muitos.

Este pacote de medidas ambientais resulta do compromisso assumido por esta Câmara Municipal, liderada pelo PS, de desenvolver ações concretas para que S. João da Madeira seja uma cidade amiga do ambiente. E nós cumprimos com os nossos compromissos! Com investimento próprio ou com o apoio de programas europeus, estamos a empreender diversas medidas inovadoras para a melhoria ambiental da nossa cidade. Esta é a grande batalha que a nossa geração tem de enfrentar para mudar o paradigma atual.

Da nossa parte, ficamos com a consciência tranquila, pois estamos a construir S. João da Madeira, como uma cidade verde, com menos plástico e mais ambiente!

Leonardo Silva Martins,

Deputado Municipal eleito pelo Partido Socialista

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui