São silvas e mais silvas, são ratos e mais ratos e todo o género de bicharada. É este o cenário amedrontador para quem vive junto a um terreno privado, que a foto identifica. O silvado está encostado às traseiras de um bloco habitacional que tem a sua frente virado para as bombas “Repsol”, na Av. Dr. Renato Araújo e, a um muro a confinar a uma outra habitação. O terreno tem entrada pela rua Enedina Garcia, o muro vai até ao limite de um caminho, caminho esse pertença da autarquia, que por sinal, já teve, mas hoje não tem saída nem está limpo, mas esbarra no terreno privado, cujo proprietário teima em não fazer a devida limpeza, apesar de já ter sido por várias vezes, notificado pelos serviços a Câmara Municipal de S. João da Madeira. Com isto foge as suas responsabilidades. Além disso a situação oferece perigo, está à mercê de uma catástrofe (incêndio). É uma situação grave que o proprietário do terreno tem dado prova de negligência. Assim sendo e, porque não se deslumbra outra alternativa, pede-se intervenção do poder autárquico, para mais uma vez notificar o proprietário do terreno, dando-lhe prazo curto, para o que é fundamental nesta circunstância, limpeza ao terreno. Caso não faça, a autarquia deverá assumir a limpeza, e de imediato fazer cobrança coerciva. É urgente. A época de incêndios já está aí! Não há tempo a perder! Não há muito em que pensar, há que atuar.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui