Unir, utilizando a bicicleta, a localidade de Rio de Onor, situada no extremo nordeste do país, junto à fronteira espanhola, a Sagres, no extremo sudoeste, foi o projeto levado a cabo por Luís Filipe Mateus e Luís Nuno Grifo, dois sanjoanenses aficionados do mundo das duas rodas. A aventura decorreu entre os dias 17 e 24 de agosto e ao longo dos mais de 860 quilómetros percorridos, desde Trás-os-Montes, passando pelas Beiras Interiores ao Alentejo, até ao Algarve, os dois aventureiros puderam constatar a grande diversidade das paisagens, bem como das culturas e modos de estar das populações locais do nosso país, um “autêntico álbum de recordações” que ambos garantem que vão conservar para o resto das suas vidas. “Tratou-se de um desafio que quisemos impor a nós próprios e vencer, superando todas as dificuldades decorrentes, quer ao nível físico, como à resistência mental e psicológica”, explicam os dois sanjoanenses, sublinhando que o “incentivo adicional foi a natureza inédita do projeto”. “Desconhecemos quem já tenha feito esta travessia. Se alguém a fez não divulgou e, como tal, não é do conhecimento de ninguém”, esclarece Luís Mateus.

Com um percurso exigente, não só pela distância percorrida mas também pelo desnível que era necessário ultrapassar ao longo dos mais de 860 quilómetros, a preparação para esta viagem foi fundamental e começou, segundo os dois sanjoanenses, em fevereiro prolongando-se até finais de julho, totalizando uma série de “12 treinos com distâncias entre os 110 e os 130 quilómetros de extensão e com um acumulado de subida entre os 1.200 e os 1.600 metros de desnível”. “Este método procurava reproduzir o melhor possível as condições de dureza de cada uma das etapas diárias que iríamos enfrentar. Nos treinos o total de quilometragem ultrapassou, seguramente, os 1.300 quilómetros. Esta travessia exigiu uma preparação de logística levada ao pormenor, muito meticulosa. Por exemplo, a nossa nutrição desportiva diária, que totalizou 6,5 quilos, foi expedida previamente para os seis locais de dormida, de forma a reduzir, ao mínimo, o peso que transportávamos”, explicam os sanjoanenses.

Esta iniciativa integra-se num projeto mais abrangente, o da criação de um espaço na internet que divulgue esta travessia, à semelhança do que já existe para a Estrada Nacional 2, mas que só deverá avançar “a partir de janeiro do próximo ano”.

Para tal, os aventureiros irão pedir a colaboração das Juntas de Freguesia de Rio de Onor e de Sagres, visando a instalação de placas evocativas nas duas extremidades deste percurso.

Apesar das grandes dificuldades vencidas associadas a esta aventura, outra já se encontra em fase de projeto, uma segunda travessia, desta vez unindo as localidades de Caminha, no Minho, a Vila Real de Santo António, no Algarve.

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui