É um projeto da Assembleia Municipal (AM) de S. João da Madeira que, este ano letivo, vai já para a sua terceira edição.

A Assembleia Municipal Jovem (AMJ) acompanha Clara Reis desde a sua candidatura à AM nas eleições autárquicas de 2017. Em declarações exclusivas ao labor, a presidente da AM e também da AMJ adiantou que “este foi um projeto abraçado em pleno, desde a sua conceção, pelo então ainda candidato a presidente da nossa câmara, o Dr. Jorge Sequeira, e foi implantado imediatamente após a nossa tomada de posse”.

“Este trabalho em conjunto, esta sintonia de princípios, métodos e objetivos é a razão do seu sucesso, que me parece que ninguém questiona”, continuou a responsável máxima pelo órgão deliberativo municipal, acrescentando: “Em conjunto com a Divisão de Educação, com a vereadora Dr.ª Irene Guimarães, estabelecemos as estratégias necessárias para o envolvimento das nossas escolas, sem as quais a participação dos alunos não se concretizaria. Foram elaborados e discutidos regulamentos, calendarizações, temáticas, tudo numa parceria aberta e honesta com os professores que serão sempre o melhor motor para pôr em prática projetos com os jovens”.

Projeto de “sucesso” direcionado para todos os alunos da cidade

Criada para possibilitar um espaço de reflexão e debate sobre temas direcionados para os mais novos, valorizando os seus interesses, opiniões e vontades e permitindo a exposição das suas ideias, a partilha das suas preocupações e o encontro de soluções comuns, a Assembleia Municipal Jovem é da responsabilidade da AM, em articulação com a câmara e as escolas do concelho. Dirige-se a todos os alunos da cidade, desde o 4.º ao 12.º ano de escolaridade, com vista à promoção do seu papel cívico, bem como da sua intervenção social.

Assembleia Municipal Jovem 2017/2018

“Eu e os outros na minha escola e na minha cidade” foi tema da primeira edição da AMJ (2017/2018). Já o da segunda (2018/2019) foi “S. João da Madeira – a minha cidade do futuro”. Nos dois anos letivos,segundo informações adiantadas ao nosso jornal pela edilidade, “todo o processo foi acompanhado e articulado com a Divisão de Educação, nomeadamente nas ações de sensibilização com a presidente da AM, na troca de informação entre estabelecimentos de ensino, presidente da AM, vereadora da Educação e gabinete de comunicação da autarquia, bem como na logística de acolhimento aos jovens deputados, nas assembleias”. Foi, ainda, incumbência da Divisão de Educação, já no final do terceiro período escolar, toda a preparação e organização (transportes, alojamento e refeições) para os jovens deputados municipais participarem, gratuitamente, numa visita de estudo a Lisboa, concretamente, à Assembleia da República e Museu do Aljube, com passagem, depois, pelo Forte de Peniche.

Embora “sendo um projeto muito recente”, a vereadora Irene Guimarães já o avaliou como “extraordinariamente positivo”. E isto tendo como base quer a “opinião dos jovens participantes, do executivo municipal, da comunidade escolar e da comunidade local, quer a opinião externa de parceiros que solicitam informação, com referência no modelo implementado em S. João da Madeira, para que possam, também, implementar um projeto semelhante nos seus concelhos – o que, obviamente, muito nos honra”.

“A mudança depende deles mesmos”

Também em jeito de balanço, Clara Reis afirmou que “entre reuniões de planificação, de apresentação do projeto à cidade, às escolas, elaboração e apresentação de listas, eleições e consequentes sessões onde foram apresentadas ao executivo as diferentes propostas, os jovens das nossas escolas aprenderam como funciona uma Assembleia Municipal e perceberam que as suas propostas não só foram ouvidas, como foram concretizadas”.

“Acreditamos que estes jovens percebem, ao participar na Assembleia Municipal Jovem,  que vale mais a pena ouvir e discutir ideias e ideais do que ignorar o que se passa à sua volta ou, mesmo, perseguir o caminho mais fácil repetindo o lugar comum de que ‘todos são iguais’ e por isso não vale a pena lutar”, defendeu a líder da AM, completando: “O mais gratificante de todo este processo é perceber, no resultado, o interesse dos jovens deputados na política, na sua verdadeira aceção da palavra, na arte de governar e servir um ideal, tê-los feito acreditar que a mudança depende deles mesmos”.

 

Testemunhos

Arquivo Labor

“Participar na AMJ foi um projeto enriquecedor, que não só me permitiu sentir que estava realmente a contribuir para melhorar a cidade em que vivo, como também me ajudou a conhecer novas pessoas e a desenvolver as minhas capacidades de interação social. Foi uma experiência inesquecível que recomendo a todos os jovens sanjoanenses”.

Mariana Coelho, representante da AMJ 2018/2019

 

Arquivo Labor

“A AMJ foi, sem dúvida, um projeto em tudo inovador, que teve muita importância para mim. Enquanto estudante, porque me enriqueceu culturalmente pelas experiências que proporcionou; enquanto cidadã, porque me consciencializou da importância da nossa participação, bem como de todos os cidadãos, na construção do futuro da nossa cidade, do nosso país, do nosso planeta em colaboração com aqueles que os dirigem; e enquanto pessoa, porque potenciou e estimulou em mim capacidades comunicativas e sociais! Por tudo isto é mais que justo dizer que a AMJ foi muito importante no meu percurso e marcou-o de forma extremamente positiva!”

Ana Francisca Cunha, representante da AMJ 2017/2018

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui