Objetivo que, nas eleições de 2015, ficou a apenas 1.680 votos de ser concretizado 

 

Depois de Estarreja e antes de ir para Santa Maria da Feira, a candidatura da CDU – Coligação Democrática Unitária pelo círculo eleitoral de Aveiroàs próximas legislativas do dia 6 de outubro, liderada por Miguel Viegas, passou, este último sábado, por S. João da Madeira (SJM) para se apresentar aos sanjoanenses.

“Temos vindo a fazer várias apresentações em vários concelhos [do distrito] para dar relevo a cada um dos candidatos e para, essencialmente, valorizar a lista”, explicou o “número um” por Aveiro aos jornalistas, acrescentando que “esta forma de divulgar a nossa lista, concelho a concelho, é uma forma também de dar uma ideia de espírito de equipa, de coletivo”, que distingue a CDU dos demais partidos.

“Entregar hoje a maioria absoluta ao PS seria o pior de todos os resultados”

A três semanas do sufrágio, no Largo do Souto, junto à “Dr. Renato Araújo”, uma das avenidas mais movimentadas da cidade, Miguel Viegas apelou ao voto na CDU tendo em vista a eleição de um deputado por Aveiro. Objetivoquenas legislativas de 2015ficou a uma migalha” – leia-se 1.680 votos – de ser concretizado, num distrito onde há 640 mil eleitores.

Há quatro anos o 16.º deputado foi eleito pela coligação PSD/CDS-PP e é este deputado que queremos retirar à direita para aumentar os deputados à esquerda, reforçando a esquerda e o caráter plural da esquerda parlamentar”, disse o cabeça de lista cujas expetativas para atingir tal desiderato estão altas.

“Com o trabalho que fizemos nestes quatro anos e com a minha experiência no Parlamento Europeu, estamos muito otimistas”, referiu o ex-eurodeputado, para quem “entregar hoje a maioria absoluta ao PS seria o pior de todos os resultados”. “Seria voltar para trás e nós queremos avançar, reforçando a CDU”, sublinhou o agora candidato à Assembleia da República.

CDU defende aumento do salário mínimo para 850 euros  

Entre as premissas fundamentais do programa da coligação que junta o PCP e o PEV, está a valorização do trabalho. Num “concelho operário, com uma massa muito grande de trabalhadores, que recebem salários baixíssimos”, como SJM, Miguel Viegas defendeu o aumento do salário mínimo para 850 euros.

“Esta proposta, não tendo um rótulo distrital, é a mãe das nossas propostas. É por aí [valorizando os salários] que temos de vencer a batalha do desenvolvimento”, afirmou. Na sua opinião, e isto a julgar pelo que viu nos cinco anos em que esteve no Parlamento Europeu, durante os quais visitou muitos Estados Membros, “não existe nenhuma razão para que os salários portugueses sejam metade ou um terço do que é praticado lá fora”.

Em S. João da Madeira, Miguel Viegas também fez saber que são compromissos eleitorais da CDU valorizar os transportes públicos, apostando num plano de mobilidade regional em que a Linha do Vale do Vouga “assume uma grande centralidade”, e a saúde pública. Aliás, “a valorização do Hospital de S. João da Madeira” (HSJM) é outra das bandeiras da CDU: “Defendemos uma proposta nacional de forma a que em todos os concelhos haja uma resposta que dê garantias que as pessoas possam ser atendidas 24 horas por dia”.

De igual modo, as questões das alterações climáticas e do desordenamento florestal, para as quais é preciso encontrar urgentemente soluções, foram afloradas pelo professor universitário e médico veterinário.

Mesmo “sem deputados no distrito, a CDU defendeu o distrito”

Maria de Fátima Guimarães, do PCP, é a única sanjoanense que integra a candidatura da CDU – Coligação Democrática Unitária pelo círculo eleitoral de Aveiro. Na apresentação do passado dia 14 de setembro, a candidata da terra fez uso do “tempo de antena” a que tinha direito para dar a saber que mesmo “sem deputados no distrito, a CDU defendeu o distrito” ao longo desta legislatura que está prestes a terminar.

Por exemplo, no que diz respeito ao HSJM, “a luta do PCP e dos sanjoanenses tem sido persistente” ao ponto de se conseguir “manter o hospital na esfera pública, agora com urgência básica”. No entanto, como a unidade hospitalar está “muito longe do serviço que prestava antes de perder as valências que ainda não recuperou”, “não será justo eleger deputados da CDU de forma a facilitar a luta pela devolução das valências do hospital?”, perguntou a professora.

Maria de Fátima Guimarães recordou, igualmente, a “luta” pela reabilitação da Linha do Vale do Vouga, que atravessa a região e está muito pouco considerada”. E remontou a 2006 quando “argumentámos na Assembleia Municipal várias as razões que fazem do comboio uma solução sempre atual” e “realizámos um passeio de comboio de ‘S. João da Madeira à Sernada’”.

Mais tarde, em 2011, “deputados da CDU” questionaram o Governo sobre o assunto e “por proposta da CDU a Assembleia Municipal de S. João da Madeira aprova por unanimidade uma moção a reclamar do Governo o não encerramento da Linha do Vale do Vouga e a tomada de medidas para fazer dela um importante meio de transporte regional”, prosseguiu Maria de Fátima Guimarães, dando nota ainda que, “em 12 de março de 2012, a LUSA anunciava que o PCP, pela voz de Jorge Machado, deputado,em declarações prestadas numa visita a S. João da Madeira, se opunha ao ‘projeto criminoso’ de entregar a linha de ‘mão beijada’ a privados”. Isto, para além da “petição promovida pelo PCP, as tomadas de posição noutras autarquias, as manifestações populares em diversos locais”, etc..

Por estas e por outras razões, “não será justo eleger deputados da CDU de forma a agilizar o processo e resolver o problema?”, interpelou.

Nesta sessão pública, intervieram ainda Maria Manuela Silva, mandatária regional, e Mafalda Guerreiro, do Comité Central do PCP. Ambas não pouparam elogios ao “coletivo coeso, forte e interventivo” que concorre pela CDU no distrito e mostraram não ter dúvidas que, com este “coletivo”, “é possível avançar também em Aveiro”.

Fátima Guimarães é a única sanjoanense da lista 

DR

 

Maria de Fátima das Neves Guimarães, de 67 anos, é a única sanjoanense que faz parte da equipa liderada por Miguel Viegas. Professora, com formação superior em gestão e administração escolar, foi presidente do conselho diretivo da Escola C+S de Cucujães durante vários mandatos. Foi também membro da Assembleia Municipal de S. João da Madeira e primeira candidata à câmara pela CDU. Além disso, pertenceu ao conselho nacional da CGTP e integrou a CLA de S. João da Madeira em representação da CGTP.

Atualmente é dirigente do Sindicato de Professores do Norte, integra a comissão concelhia de S. João da Madeira do PCP e o executivo da Direção da Organização Regional de Aveiro do PCP. Pertence ao “Movimento Erradicar a Pobreza” e ainda preside a uma IPSS existente na cidade.

 

 

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui