Créditos Direitos Reservados

O sanjoanense Agostinho Costa, que atualmente representa o NAC (Núcleo de Atletismo de Cucujâes) depois de ter vestido as cores do Fundo de Vila durante 20 anos, venceu, no passado dia 5 de outubro, o Freita Skyruning 2019 no escalão M50. A competição, realizada em Felgueira, Vale de Cambra, uma aldeia às portas da Serra da Freita é composta por três provas de trail com distâncias distintas, o Freita Skyrace, com 25 quilómetros e um desnível de 1.650 metros, o Freita Skymarathon, com 42 quilómetros e um desnível de 2.800 metros, e uma caminhada não competitiva de 10 quilómetros.

Trata-se de uma competição oficial de Skyrunning inserida no Campeonato Nacional de Sky Marathon 42 km – Portugal 2019, título atribuído pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal.

E entre os mais de 70 participantes a competir na distância mais longa (25 quilómetros) esteve Agostinho Costa, com o atleta de S. João da Madeira, já conhecedor destes trilhos e ciente da dureza da prova que tinha pela frente, com destaque para uma subida de 4,5 quilómetros até ao pico da Gralharia, o ponto mais alto da serra, a gerir da melhor forma o esforço ao longo de todo o percurso que acabaria por culminar com a conquista do primeiro lugar no escalão M50, com o tempo de 3:14:30, resultado que lhe garantiu a sétima posição da geral. Apesar da excelente prestação, Agostinho Costa falhou o objetivo principal, que era terminar entre os cinco primeiros classificados, algo que já tinha conseguido em anos anteriores. O atleta sanjoanense foi acompanhado nos restantes lugares do pódio por Pedro Guimarães, da Lestrunazores, (3:14:30), e Joaquim Couto, do Vale Correr, (3:46:38), na segunda e terceira posições, respetivamente.

A prova principal foi ganha pelo atleta, Alex Tondela (Montanha clube Efapel), com o tempo de 2:38:25, seguindo-se Ivan Silva, do EDV Viana Trail, (2:49:36), e Fábio Reis, do Vale Correr, (3:14:30), que fechou o pódio.

De realçar que os atletas que participaram nestas competições passaram por zonas que muitos poucos transpuseram, como passagens de água, caminhos antigos e locais de paisagens extraordinárias. O Skyruning trata-se de uma atividade de corrida, predominantemente em montanha, com percursos que contam com um elevado desnível positivo, secções técnicas e inclinações acentuadas e que representam uma componente paisagística de grande beleza. A modalidade surgiu em Itália em meados da década de 90 e caracterizava-se por competições realizadas acima dos 2.000 metros. No entanto, como nem todos os países dispunham de locais com estas características, a Federação Internacional de Skyruning (ISF) acabaria por integrar no seu âmbito competições abaixo dessa altitude, mas com um desnível positivo elevado.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui