O munícipe Luís Magalhães Lopes deu conta da presença de um líquido branco junto a uma queda de água no Rio Ul durante a caminhada que realizou terça-feira, por volta das 9h30, neste espaço verde.

“Faço caminhadas quase todos os dias” no Parque Urbano do Rio Ul e “dei por ela que junto à queda de água mesmo em frente ao café vinha um líquido branco”, contou o munícipe no próprio dia ao labor.

Esta não foi “a primeira vez que vimos algo do género, um líquido leitoso, que, entretanto, já se dissipou na água”, deu a conhecer Luís Magalhães Lopes. Um dos seus amigos de caminhadas “ligou para a câmara (na terça-feira de manhã) e não conseguiu falar com ninguém”, mas “ainda vai tentar ligar para lá novamente”, disse o munícipe.

O nosso jornal questionou a câmara sobre se tinha conhecimento de alguma descarga deste género no rio, agora que sabe da situação que ação vai tomar e qual o estado da água do Rio Ul.

A Câmara Municipal de S. João da Madeira informou que situação referida foi detetada, estando a empresa municipal “Águas de S. João” a desenvolver diligências no sentido de poder apurar os contornos da ocorrência e as suas causas.

Ao longo da conversa com o nosso jornal, Luís Magalhães Lopes, como é uma presença habitual neste espaço verde, aproveitou para alertar sobre “os atentados” que são feitos sobre o mesmo.

Desde “o que levou ao aparecimento deste líquido, ao lixo encontrado fora dos caixotes nos parques de estacionamento e no parque, até à pintura dos reservatórios do lixo, ao partir candeeiros e ao deitar pedras do muro em pedra ao chão” tal como é visível na galeria de fotos anexada a esta notícia no site do labor.

Tudo isto é “incrível” e “impressionante” porque “é só pelo prazer de fazer mal, mas é a sociedade que temos”, concluiu o munícipe.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui