ADRAV, 5 – Real Sociedade da Praça, 0

ADRAV: Hugo Tavares, Brunito, (Tiago Marques, 65’), Pedro Castro, Hector (cap.), Serginho, Tiago Santos, Márcio, Joca, Rúben, (Pedro Nuno, 50’), Marcelo Sales, Hugo Barraca (Caio, 65’).

Suplentes: Tiago Tavares, Tiago Marques, Pedro Nuno, Caio.

Treinador: Justino Marques.

Um dérbi caseiro, entre a ADRAV e o Real Sociedade da Praça, marcou o arranque a Taça Fundação Inatel, encontro que, face ao valor e competitividade de ambas as equipas, era aguardado com alguma expetativa.

Foi a formação de Justino Marques que entrou a pressionar, acabando por assumir o comando da partida, e logo aos três minutos de jogo a formação da ADRAV inaugurava o marcador, com Marcelo Sales, em resposta a um cruzamento de Márcio, a deixar o guardião Rui Correia pregado ao chão para o primeiro do encontro.

Com um golo madrugador a ADRAV ganhava alguma tranquilidade para o que viria a ser uma excelente primeira parte dos homens de Justino Marques, que pouco depois do primeiro quarto de hora ampliavam a vantagem. Márcio tenta ultrapassar um adversário dentro da área e é travado em falta, com o árbitro da partida a apontar para a marca dos 11 metros. Hector assumiu a responsabilidade e, sem hesitação, rematou colocado inviabilizando a defesa de Rui Correia, que até adivinhou o lado da bola.

A perder por 2-0 o Real tentou reagir e apesar de procurar jogar com a linha defensiva mais subida no terreno, procurando chegar mais perto da baliza à guarda de Hugo Tavares, não conseguia criar grandes lances de perigo. Com isso o Real deixava muito espaço nas suas costas e isso foi prontamente aproveitado por Márcio, que aos 20 minutos consegue isolar-se e aproveitar a saída do guarda-redes para picar a bola por cima e apontar o terceiro da ADRAV.

Pouco depois surgia uma das poucas oportunidades do Real, mas Hugo Tavares realizou uma excelente defesa desviando o cabeceamento por cima da trave. Seria, no entanto, a ADRAV a chegar novamente ao golo quando pouco depois, num lance aparentemente inofensivo, Rúben falha um cruzamento quando a bola seguia para a baliza, acabando por enganar Rui Correia, que ainda tentou evitar o golo, mas sem sucesso.

Na segunda parte, a vencer por 4-0, a equipa de Justino Marques procurou gerir a posse de bola, mas nem sempre com perfeição, permitindo por vezes a recuperação do Real, que chegava com mais frequência à baliza de Hugo Tavares, que aos 10 minutos negou mais um golo ao adversário. Aos 24 o Real teve mais uma excelente oportunidade para reduzir a desvantagem ao beneficiar de uma grande penalidade, mas o pontapé saiu à trave e instantes depois, já reduzido a 10 elementos, após a expulsão de Rui Correia, a ADRAV fechou a contagem com o quinto apontado por Marcelo Sales, em resposta a um excelente cruzamento de Pedro Nuno, que só teve que encostar perante o desamparado e improvisado guarda-redes Menezes.

Apesar da partida ter ficado resolvida praticamente na primeira parte, o Real foi um excelente adversário, nunca desistindo de lutar para tentar dar a volta a resultado.

No próximo sábado a ADRAV recebe, pelas 17h00, no Centro de Formação Desportiva, a equipa do Carqueijo.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui