Com quatro escalões em competição, apenas um conseguiu sair vitorioso e foi a equipa de juvenis da APROJ que acumulou três pontos, batendo a formação Ala de Gondomar B, um adversário com fracos recursos técnicos e táticos. Sempre muito concentradas nas suas tarefas, as atletas de S. João da Madeira estiveram bem quer ao nível do serviço quer da defesa baixa, conseguindo aproveitar sempre os contra-ataques para fechar as jogadas com sucesso, acabando por vencer por 3-0.

Sorte diferente verificou-se com as cadetes, que não tiveram argumentos para contrariar uma das melhores equipas do grupo, a Ala de Gondomar. Num jogo que não se esperava fácil, ao longo de praticamente toda a partida o adversário aplicou um serviço forte sem que as atletas da APROJ conseguissem receber com qualidade, amealhando erros sucessivos na receção bem como na construção ofensiva.

Claramente não foi um jogo positivo para o conjunto de S. João da Madeira, que nunca se encontrou no side-out e foi muito perdulário na organização ofensiva, cedendo por 3-0. Foi, certamente, um jogo para o treinador Cláudio Laranjeira tirar apontamentos, a fim de melhorar algumas lacunas que continuam a persistir neste escalão.

O mesmo aconteceu com as infantis da APROJ que, apesar de terem entrado em jogo com atitude, empenho e determinação, sabiam que iriam ter pela frente a melhor equipa da Série E, o Castêlo da Maia. Numa partida de sentido único, as comandadas de Miguel Veloso perderam os três sets pelos parciais de 25-7, 25-6 e 25-9. Uma vez mais, as infantis não conseguiram contrariar o serviço adversário, o que lhes dificultou bastante o side-out. Durante o jogo, a turma de S. João da Madeira ainda conseguiu anular alguns ataques adversários, mas não foi o suficiente.

Quem também cedeu foi o escalão de juniores B na deslocação a Espinho para medir forças com o Sporting Clube de Espinho, um adversário de peso e com um plantel forte.

Apesar da derrota por 3-0, a equipa comandada por Paulo Rocha mostrou sinais notórios de evolução, entrando em campo com uma boa atitude, a errar menos – fruto do trabalho desenvolvido nos treinos – e dando boa réplica à turma da casa. No segundo set notou-se alguma quebra no desempenho da APROJ, mas o treinador salienta, acima de tudo, a união das atletas que foi bem visível ao longo de todo o encontro.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui