“Ela é um ser cheio de luz. Elas levam-nos para outra dimensão”, disse Alice Gradíssimo

 

A exposição de aquarelas “Paragens onde as viagens cabem” de Nanni Pinto pode ser visitada desde o dia 8 de novembro na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

“Adoro a arte dela. É de uma simplicidade complexa. Não é feita só de imagens, mas também de palavras. Elas vivem ao mesmo tempo”, começou por dizer a artista plástica Alice Gradíssimo.

Em cada uma das aquarelas, técnica que requer alguma perícia porque trabalhar com água não é fácil, tal como fez questão de mencionar Alice Gradíssimo, “ela utiliza pigmentos cheios de luz. Ela é um ser cheio de luz. Elas levam-nos para outra dimensão”.

A artista plástica chamou a atenção para um pormenor característico de todas as obras. “O rosto de todas as imagens dela tem uma orelha que se distingue das nossas. Ela alarga o lóbulo da orelha cujo tamanho está relacionado com a espiritualidade”, indicou Alice Gradíssimo, continuando a sua análise em relação ao tamanho das mãos e dos braços. “Ela põe uns braços compridos e umas mãos do tamanho do mundo porque ela quer abraçar tudo e apanhar o mundo”, constatou a artista plástica. Para além disso, “ela usa cores vibrantes e flores nos trabalhos. A natureza é muito importante para a Nanni”. “Tenho crescido muito com ela. Ela é um ser humano espetacular”, concluiu Alice Gradíssimo.

No meio das aquarelas existe uma “manta de pessoas”, isto é, com um pedaço de pessoas muito especiais para Nanni Pinto que em todos os seus trabalhos tem sempre muito presente o lado humano.

Há uns tempos “comecei a ter a ideia de fazer uma manta cheia de amigos” e o resultado é uma manta com um pedaço de amigos, todos eles diferentes tipos de amigos, “de toda a parte do mundo”, contou Nanni Pinto, revelando que esta é apenas uma das mantas que tem a intenção de construir com a ajuda da mãe que foi quem costurou cada um daqueles pedaços de amigos, de histórias, de memórias.

O primeiro contacto de Irene Guimarães, vereadora da Educação, com Nanni Pinto aconteceu na inauguração da exposição, ficando a saber que esta é sobrinha neta do Padre Serafim Leite, patrono de uma das escolas da cidade, à qual esteve ligada enquanto professora e diretora.

“Uma muito boa energia, intensa e de uma simplicidade que incomoda, mas agrada” é a imagem transmitida por Nanni Pinto, descreveu Irene Guimarães. A vereadora agradeceu por ter “uma filha da terra” que embora distante – a viver em Braga – trouxe a sua obra até à sua cidade. Por isso, pediu a todos os presentes que passassem a palavra a outras pessoas para visitarem esta exposição com obras de “uma grandiosidade” que está patente até ao dia 8 de janeiro de 2020 na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

Nanni Pinto apresenta novo livro na biblioteca dia 29

Nanni Pinto é uma pessoa que “não para” e está “sempre a escrevinhar, a pintar e em interação”, descreveu Alice Gradíssimo durante a inauguração da exposição.

E a prova disso está na apresentação do seu novo livro “Dicotomia do ser ou Diário dum Palhaço” no dia 29 de novembro, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

O cenário não podia ser melhor uma vez que as aquarelas da exposição “Paragens onde as viagens cabem” estão precisamente relacionadas com o seu novo livro.

A apresentação estará a cargo do professor Emílio Ferreira que é licenciado em Teologia pela Universidade Católica Portuguesa do Porto. O momento também contará com um momento de fado com Bia Antunes, com o duo de clarinetes Ângela Barradas e Rodrigo Tavares e com a apresentação da filmagem do 7º capítulo do livro, interpretado pelo Teatro Paladar, de Braga.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui