ADRAV, 3 – Palhota, 3

ADRAV: Tiago Tavares, Sérgio (Hugo Barros), Hector (cap), Pedro Castro, Bruno, Joca (Tiago Santos), Márcio, Rúben, Marcelo Sales (Pedro Nuno), Pombas, Barraca.

Suplentes: Hugo Tavares, Sami, Tiago Marques, Hugo Barros, Tiago Santos, Pedro Nuno.

Treinador: Justino Marques.

ADRAV e Palhota protagonizaram um excelente jogo de futebol que terminou com um empate, refletindo o equilíbrio que se registou ao longo da partida.

Foi o conjunto de S. João da Madeira que podia ter inaugurado o marcador quando, logo nos minutos iniciais, Marcelo Sales aparece isolado frente a Loureiro, mas acaba por atirar às malhas laterais. Não marcou a ADRAV, marcaram os forasteiros aos seis minutos na sequência de um pontapé de canto, com Patrick a surgir livre de marcação e com toda a facilidade cabeceou para o fundo das redes, num lance em que o guardião Tiago Tavares não esteve isento de culpas.

Fruto da sua experiência, a ADRAV não se deixou afetar pelo golo dos visitantes e aos poucos procurou assumir o comando da partida, conseguindo empurrar o adversário para a sua linha defensiva, mas seria o Palhota que voltaria a estar mais perto do golo num lance de contra-ataque que deixou um dos visitantes isolado, mas sem conseguir bater o guarda-redes da casa.

A insistência da ADRAV acabaria recompensada aos 25 minutos quando num lance de bola parada Pedro Castro, bem no interior da área, remata sem hipótese de defesa para o golo da igualdade.

Com o empate, os locais procuraram chegar à vantagem e 10 minutos volvidos assumiam a liderança do marcador com um pontapé de meia distância que deixou o guardião Loureiro “pregado” ao chão, resultado que se manteria até ao intervalo.

No regresso dos balneários a ADRAV não trouxe o mesmo ritmo e aos poucos foi consentindo alguns espaços aos visitantes, que aos 50 minutos de jogo acabariam por chegar à igualdade (2-2) na sequência de uma grande penalidade apontada por Tiago Azevedo.

Com tudo em aberto, seria o Palhota a assumir novamente o comando do marcador resultado de um lance de infelicidade dos locais, que introduziram a bola na própria baliza.

Com cerca de 10 minutos para jogar, a ADRAV partiu à procura da igualdade e já depois de Loureiro ter negado por duas vezes o golo aos homens de Justino Marques, foi na sequência de um penalti, apontado por Hector, que os locais chegaram ao empate.

No próximo sábado está de regresso a Taça Fundação INATEL com a ADRAV a jogar a uma só mão no terreno do Nadais, encontro agendado para as 15h00.

Créditos: Direitos Reservados

Rúben foi o homem do jogo

Após uma longa paragem por motivos de saúde, Rúben regressou em grande e caminha a passos largos para alcançar a sua melhor forma física.

Neste encontro Rúben esteve ativo no centro do terreno de jogo, transmitindo à equipa muita raça e vontade de lutar.

Para além disso, o jogo fica marcado pelo grande golo que apontou, capaz de fazer levantar qualquer adepto do desporto rei.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here