Num fim de semana que marcou o arranque da segunda volta para vários escalões, a APROJ alcançou resultados distintos nas várias equipas em competição. As cadetes, que iniciaram a segunda volta do Campeonato Regional frente ao CD Fiães, venceram com o mesmo resultado conseguido na ronda inaugural, batendo o adversário por 3-0. Embora o resultado pareça robusto, a equipa de Fiães veio para disputar o jogo, forçando muito a equipa de Cláudio Laranjeira a cometer demasiados erros no primeiro set, nomeadamente ao nível do side-out e da defesa baixa. Após solicitar dois tempos técnicos, a equipa de S. João da Madeira voltou a reencontrar-se e venceu o adversário nas vantagens. Os dois sets seguintes foram, em tudo, idênticos. Muitos erros de ambas as partes, mas que permitiram à APROJ ser mais feliz na transição ofensiva. Com um serviço mais assertivo nos momentos finais, as aprojianas não deram hipóteses à receção adversária de organizar ofensivamente o seu jogo.

Quem também venceu foi a equipa de juvenis, igualmente o Fiães. E depois de ter perdido por 3-1 na primeira volta, agora a equipa de S. João da Madeira respondeu na mesma moeda vencendo o adversário pelo mesmo resultado (3-1).

Em disputa direta pelo terceiro lugar do grupo, que poderá dar lugar ao nacional, a APROJ entrou determinada e com um serviço muito assertivo e uma defesa baixa conseguiu uma vantagem confortável no marcador. Contudo, a equipa forasteira encostou no marcador aos 23-23, o que fez com que a APROJ fosse acumulando alguns erros, mas as jovens de S. João da Madeira, com alguma sorte e crença, fecharam o primeiro set de forma positiva.

No segundo set, a equipa comandada por Cláudio Laranjeira acumulou demasiados erros no serviço e, consequentemente, perdeu a concentração necessária no momento de finalização. Claudicou muito, o que permitiu à equipa do CD Fiães ganhar um ascendente e terminar de forma confortável.

Já o terceiro e quarto sets foram muito disputados. Sabendo da importância deste jogo, a APROJ voltou a estar melhor no serviço e finalização, o que fez com que o último fosse mais completo em ações positivas.

Desfecho diferente verificou-se no escalão de infantis, que deu luta mas cedeu no arranque da segunda volta do campeonato frente ao SC Espinho. No primeiro set andaram encostadas ao marcador até aos nove pontos. A partir daí, com um serviço forte, o adversário controlou o set até ao final fixando o parcial em 12-25. No segundo set a história repetiu-se com o parcial a fixar-se em 10-25. Foi no terceiro e último set que a equipa comandada por Miguel Veloso foi capaz de controlar melhor o serviço do adversário e, em alguns momentos, impor o side-out, acabando por se fixar em 16-25.

O mesmo aconteceu com as juniores B frente ao Leixões. Durante a primeira metade do primeiro set assistiu-se a uma partida muito equilibrada, com o adversário a ganhar, mas seria a APROJ a vencer o primeiro parcial por 15-25. No segundo set a turma aprojiana, a jogar em casa, entrou forte no serviço e a criar bastantes dificuldades ao jogo do Leixões, chegando a acumular uma vantagem de quatro pontos. Contudo, na parte final a equipa adversária acabou por recuperar, aproveitando alguns erros e vencendo por 19-25.

No último set a APROJ não entrou bem começando a perder por 1-7, mas nunca deitou a toalha ao chão. No entanto, acabaria por pender para o Leixões, por 15-25, fixando-se o resultado do jogo em 0-3.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...